Burel Mountain Origins e Book in Xisto são alguns dos projetos vencedores da 2ª edição do Prémio Nacional do Turismo

Conheça os vencedores da segunda edição do Prémio Nacional do Turismo.

É preciso recuar a 1995 para encontrar números semelhantes aos do sector do turismo em 2020. Isto depois de 2019 ter registado um “recorde absoluto 27 milhões de hóspedes e crescimento das receitas”, aponta o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, que olha para 2020 como um ano de grandes desafios perante a “paragem total no sector”.

Num ano em que vários limites foram testados e o sector foi posto à prova, hotéis, restaurantes, empresas e empreendedores foram “obrigados a adaptar-se a uma nova realidade”.m as “é agora que se prepara o futuro”, com esperança na retoma. “Portugal continua autêntico, resiliente e as empresas apostam naquilo que é um turismo de experiência e principalmente de alta qualidade”, assegura. A retoma, tão ansiada, não se faz sem enfrentar desafios que passam, na visão de Luís Araújo, principalmente pelas tecnologias digitais, ferramentas indispensáveis para “chegar a mais pessoas e aumentar eficiência das empresas”, mas também pela sustentabilidade, garante de “um melhor turismo para um melhor planeta”.

Na mesma linha, a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, sublinhou, durante a atribuição do Prémio Nacional do Turismo, uma iniciativa do Expresso e do BPI, que decorreu esta quarta-feira, 16, em formato digital, que o futuro do turismo – assente nos pilares “da sustentabilidade e da digitalização” -, será “risonho”. “Estamos aqui a celebrar o acreditar no nosso futuro”, sublinhou a secretária de Estado para quem o esforço de todos os premiados, num ano particularmente difícil para um sector com mais de cem mil empresas e 400 trabalhadores, terá consequências positivas e “será reconhecido no futuro”.

É para o futuro que olham todos os intervenientes na cerimónia de entrega dos galardões, inteiramente online, e que contou ainda com as intervenções de Pedro Barreto, administrador do BPI. Escolheu destacar o importante peso do Turismo na economia e o seu crescimento nos últimos anos, garantindo ainda aos empresários do sector turístico: “contem com o BPI”. Francisco Pedro Balsemão, CEO da Impresa, destaca nesta segunda edição do Prémio Nacional do Turismo “a importância que o sector tem para o País”. Uma dinâmica que serve tanto para “reconhecer os melhores” como para “repensar o sector rumo à transformação rumo àquilo que queremos que o sector venha a ser no futuro”.

E o que queremos? “Que seja autêntico, inteligente, capaz de se agregar em redes, um sector sustentável e acima de tudo de confiança. Atributos que consideramos que os turistas em Portugal cada vez mais vão valorizar no futuro, as mais importantes para acelerar a retoma”. Francisco Pedro realça não só a dimensão económica, mas também a emocional: “todos somos turistas e gostamos de fazer turismo e em Portugal”. Porque “nunca fez tanto sentido a expressão vá para fora cá dentro”, o CEO da Impresa deixa um desafio: “Há muito que a Impresa aposta no sector do turismo através do Boa Cama Boa Mesa, mas também a Infoportugal dedicada à cartografia e fotografia aérea”. A partir de 2021 a aposta “naquilo que de melhor que se faz em Portugal será ainda mais forte. Fiquem atentos”.

UM PAÍS MAIS INTELIGENTE, SUSTENTÁVEL, DE CONFIANÇA
Nesta segunda edição, o Prémio Nacional do Turismo focou-se em cinco categorias, adaptadas aos tempos desafiantes do sector e apostada em premiar projetos que se distinguem nos campos do Turismo Sustentável, Turismo Inteligente, Turismo Autêntico, Turismo em Rede e Turismo de Confiança. Nestas vertentes, o Prémio Nacional do Turismo, que recebeu 401 candidaturas e atribuiu oito distinções, e apostou, no caso da sustentabilidade, e empresas ou projetos que promovam os pilares do desenvolvimento sustentável, promovendo o desenvolvimento com respeito pelo ambiente e comunidades locais.

Aproximar clientes das experiências turísticas é o objetivo do Turismo em Rede que para a escolha dos premiados teve em conta a aposta no digital e em experiências que melhorem a experiência do utilizador. No campo do Turismo autêntico, foram considerados projetos que, através da experiência turística dar relevo e preservar a autenticidade local e regional e a vivencia das suas comunidades respeitando e valorizando os recursos endógenos. No que respeita ao Turismo de Confiança, outra das categorias, distinguiu-se quem melhor faz a promoção das marcas, dos destinos e das experiências que potenciam a inclusão, a não discriminação e a compreensão do outro. Já no caso do Turismo Inteligente, a escolha recaiu sobre as empresas que mais valorizam os seus profissionais, quem aposta nas competências e capacidade de inovar, quem melhor recolhe e interpreta a informação sobre o seu negócio.

Rui Gidro, da Delloite, parceira do Prémio Nacional do Turismo, destacou as categorias alinhadas com os desafios deste ano para o turismo, bem como o elevado número de candidaturas, que foram submetidas a três fases de seleção em que dois comités e um júri verificaram, debateram e selecionaram os melhores entre os melhores, entre os 410 candidatos às várias distinções. Foi também distinguido, pelo trajeto profissional e por ter demonstrado ser um contributo inequívoco à atividade turística de forma geral, com o Prémio Carreira, Mário Pereira Gonçalves, empresário da área da restauração e presidente da AHRESP – Associação da hotelaria, restauração e similares de Portugal.

CONSULTE A LISTA DOS PREMIADOS:
PRÉMIO CARREIRA

Mário Pereira Gonçalves

TURISMO AUTÊNTICO

Burel Mountain Origins: Casa de São Lourenço e Casa das Penhas Douradas
Menção honrosa: Grande Rota Peneda Gerês (GR50)

TURISMO EM REDE

Book in Xisto

TURISMO DE CONFIANÇA

Selo “Clean & Safe”

TURISMO INTELIGENTE

Pestana Hotel Group: Envision @Pestana

Menção honrosa: Smart Resort

TURISMO SUSTENTÁVEL

Certificação de sustentabilidade do destino turístico Açores



Conteúdo Recomendado