BMEL dedica programação de setembro e outubro à guardense Carolina Beatriz Ângelo

Carolina Beatriz Ângelo nasceu na Guarda a 16 de abril de 1878. A atividade profissional de Carolina foi conciliada com uma intervenção política e social intensa e marcante. Foi a primeira mulher a votar nas eleições para o parlamento da 1ª República Portuguesa, em 1911, algo amplamente noticiado em Portugal e felicitado em diversos países do mundo.

A BMEL – Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, na Guarda, preparou diversas atividades relacionadas com Carolina, entre elas a exposição de Banda Desenhada “Carolina Beatriz Ângelo: pioneira na cirurgia e no voto” de José Ruy que vai estar patente na Sala Tempo e Poesia de 12 setembro a 27 de outubro. É composta por 30 pranchas do mais recente álbum do mestre José Ruy. A este propósito vai decorrer um “Encontro com… José Ruy” no dia 16 de outubro às 10 horas e 14h30 para os alunos do 2º e 3º CEB e Secundário, e às 18 horas a apresentação do livro “Carolina Beatriz Ângelo Pioneira na cirurgia e no voto”. José Ruy nasceu na Amadora em maio de 1930. Cursou Artes Gráficas na Escola António Arroio, onde foi discípulo de Mestre Rodrigues Alves, e frequentou habilitação a Belas-Artes. Iniciou-se como desenhador com apenas 14 anos, tendo publicado ao longo da sua carreira mais de 79 álbuns, 48 dos quais em banda desenhada.

De 12 setembro a 27 de outubro estará patente na BMEL a exposição “Ecos da Imprensa, Carolina Beatriz Ângelo (1878-1911)”. Carolina foi a primeira mulher portuguesa a votar nas eleições para a Assembleia Nacional Constituinte, a 28 de maio de 1911, após a Revolução do 5 de outubro, tendo conseguido, ao abrigo da lei eleitoral vigente e após disputa com o poder político, favoravelmente arbitrada pelo Tribunal, a inclusão do seu nome nos cadernos eleitorais da Comissão de Recenseamento do 2.º Bairro de Lisboa. Nesta exposição está reunido um conjunto de artigos da imprensa relativos a este facto.

O programa da BMEL contempla a conferência “Carolina Beatriz Ângelo – a médica guardense que abraçou a utopia republicana” por Antonieta Garcia no dia 3 de outubro às 18 horas. Antonieta Garcia é Doutorada em Sociologia pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Professora Associada na Universidade da Beira Interior (Aposentada) desenvolve as suas investigações no âmbito do Judaísmo e das Identidades. Publicou, entre outros, os livros: Carolina Beatriz Ângelo, Médica, Republicana, Sufragista…; Carolina Beatriz Ângelo – Guarda(dora) da Liberdade.

A programação do ciclo dedicado a Beatriz Ângelo prossegue com o espetáculo “O Republicário” pela Casa da Esquina/Ricardo Correia no dia 4 de outubro com sessões às 10H30 e 14h30, na BMEL, dirigido aos alunos do 3º CEB e secundário. “Nesta República acabadinha de inventar, contamos a história de um vendedor de enciclopédias que percorre, sentado em cima da sua bicicleta, a famosa e enferrujada Princesa, o país de lés a lés e que adora ouvir na rádio fado desafiado.”

Outro tema em destaque na programação da BMEL para setembro e outubro é a Revolução de Outubro de 1917, que em outubro comemora o seu centenário, e por isso dedicamos algumas atividades a este tema, entre as quais, uma mostra bibliográfica “A Revolução de Outubro de 1917” que estará disponível na BMEL entre 2 a 30 outubro de 2017. A Revolução Russa de 1917 teve por base uma série de eventos políticos na Rússia, que, após a eliminação da autocracia russa, e depois do Governo Provisório, resultou no estabelecimento do poder soviético sob o controle do partido bolchevique. O resultado desse processo foi a criação da União Soviética, que durou até 1991.

A BMEL projeta o filme “O couraçado de Potemkin” de Sergei Eisenstein no dia 11 outubro às 18 horas, que é baseado em factos históricos, relata o motim do navio de guerra Potemkine iniciado quando a tripulação alegadamente recebeu carne podre para jantar. Esta foi a segunda longa-metragem de Eisenstein, para muitos a melhor e mais marcante. Em outra sessão cinematográfica no dia 25 de outubro será projetado o filme “Outubro” de Sergei Eisenstein e Grigori Aleksandrov.

Para completar este tema, a BMEL promove a conferência “Guerra e Revolução na Rússia de 1917” por Fernando Rosas no dia 20 de outubro às 18 horas. Fernando Rosas é Professor Catedrático da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. É historiador, político e jornalista. Para além da atividade académica e política, também se dedicou ao jornalismo.

A programação da BMEL começa no dia 8 de setembro às 21h30 com um concerto dedicado a Eduardo Lourenço, o “Concerto para Eduardo Lourenço” pelo Síntese – Grupo de Música Contemporânea da Guarda, que viaja pelo repertório de alguns dos compositores mais significativos da música de câmara dos séculos XX e XXI, europeia e portuguesa. Com estéticas contrastantes, ouviremos o compositor britânico Ralph Vaughn-Williams, a compositora russa Sofia Gubaidolina e os compositores portugueses João Pedro Delgado e Eduardo Luís Patriarca. O ponto alto deste concerto será, aliás, a estreia de uma nova obra de Patriarca escrita especialmente para este concerto: Auat VI [Memento], sobre poemas de Gastão Cruz e Maria Teresa Horta.

Salientamos também o espetáculo “On the Road de Jack Kerouac” por Tó Trips e Tiago Gomes num espetáculo-viagem, na BMEL no dia 21 outubro às 21H30. O espetáculo é baseado no livro homónimo de Jack Kerouac, no ano do 60.º aniversário da sua primeira edição, em 1957. “On the road” foi escrito em três semanas num extenso rolo de papel, relata uma viagem de Jack Kerouac com Neal Cassady de costa a costa nos Estados Unidos, num percurso onde vão entrando outros nomes da Beat Generation, como Allen Ginsberg e William S. Burroughs. Esta performance consiste numa banda sonora para o livro interpretada por Tó Trips, em guitarra e efeitos vários, e Tiago Gomes, lendo excertos do livro, com vídeo-beat de Raquel Castro. Trata-se de uma viagem, uma estrada perdida e infinita, para onde os dois performers e o vídeo remetem o espectador para a «route 66», na América de todos os sonhos, que aqui também são todas as estradas do mundo – vias rápidas, estradas secundárias, o deserto, cidades perdidas na noite e becos sem saída.

No que respeita à restante programação, refira-se a apresentação do livro “Por Amor” de Alexandra Santiago, Susana Barbosa, Cláudia Pedreira, Dina Coelho, Filipa Carvalho, no dia 23 setembro às 16H00. Elas ouvem, mas partilham a sua história de como é viver com aqueles que não ouvem. São Surdos, mas sentem tudo de forma especial, são lutadores e vencedores, são o seu amor e são as personagens principais de autênticas histórias de vida. Por Amor é o relato de 5 experiências na primeira pessoa de um amor mágico, de uma partilha de como se pode ser feliz no mundo do silêncio.
Em outubro, no dia 10 pelas 18H00, está agendado o recital “Em cima de uma nuvem” pelos participantes na Oficina de Escrita da Casa de Saúde do Bento Menni. Trata-se de uma apresentação informal dos trabalhos criados no âmbito da oficina que está a decorrer sob orientação de Américo Rodrigues (BMEL).

Dia 14 de outubro às 16 horas decorrerá a apresentação do livro “O segredo do João” de Angelina Beda Ribeiro, organizado pela APAFID. Este livro retrata a história de um menino disléxico, tendo por base as experiências individuais de uma diversidade de crianças com dislexia.
Sérgio Pelágio e Isabel Gaivão trazem à BMEL “Histórias Magnéticas – Uma galinha” de Clarice Lispector numa história-contada-concerto que é destinada aos alunos do 1º CEB. Vai decorrer nos dias 24 e 25 outubro com sessões às 10 horas e às 14h30. Uma galinha é um Ser. Será? Esta é uma das muitas perguntas que saem deste conto filosófico, enigmático e absurdo. A linha narrativa é surpreendente. O final é ao mesmo tempo óbvio e inesperado. E dá que pensar.

No âmbito de “A Terra da Escrita” decorrerá na Sala Tempo e Poesia a apresentação do livro “O Mundo à volta das letras – 2” no dia 26 de outubro às 16H00. “A Terra da Escrita” é um projeto de divulgação, junto da comunidade escolar, das obras e dos autores locais. O presente livro é um registo de todas as iniciativas desenvolvidas no ano letivo 2016/2017, contendo também os trabalhos criados no âmbito das oficinas promovidas. Durante esta sessão será apresentado o programa de atividade do 4º ano do projeto.

Por fim, Cláudia Sousa vem à “Hora do Conto” com “Bichinho miau!” no dia 28 outubro às 10 horas, atividade para crianças do 1 aos 3 anos e com “Histórias do Menino Andersen” às 11h15 para crianças com mais de 3 anos. O menino Andersen gostava de sentar-se a contar histórias, usava a tesoura, o dom da palavra e a imaginação. Uma viagem no tempo, através de livros e contos de Hans Christian Andersen, ilustrada pela animação, de um pequeno teatro de sombras. Das 14h30 às 17h30 é a vez das crianças maiores de 6 anos, realiza-se a oficina “Construção de teatros de cartão”. Partindo da exploração das múltiplas possibilidades, recorrendo a caixas de cartão e às nossas habilidades manuais, vamos construir pequenas casas, para artes maiores: Faz-de-conta e Teatro.

Primeira mulher a votar no país nasceu na Guarda



Conteúdo Recomendado