Biblioteca Municipal da Guarda lembra escritor Júlio Dinis em setembro

A Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço (BMEL), na Guarda, anunciou que, em setembro, vai destacar a obra do escritor Júlio Dinis, que “integra a galeria dos grandes autores clássicos da literatura portuguesa”.

Segundo uma nota da Câmara Municipal da Guarda enviada à agência Lusa, Júlio Dinis (1839-1871) será lembrado com uma mostra bibliográfica e um documentário. A mostra bibliográfica “Evocar Júlio Dinis 148 Anos após a sua morte” será inaugurada na terça-feira e fica patente ao público até ao dia 30 de setembro. A fonte lembra que Joaquim Guilherme Gomes Coelho, que adotou o pseudónimo de Júlio Dinis, foi médico, escritor e professor.

“Na sua curta vida publicou vários romances, entre eles ‘As Pupilas do Senhor Reitor’, em 1867, ‘Uma Família Inglesa’ e ‘A Morgadinha dos Canaviais’, em 1868 e, em 1870 reuniu vários contos nos ‘Serões da Província’. No ano da sua morte, foi ainda editado o romance ‘Os Fidalgos da Casa Mourisca’. Postumamente, em 1874, publicaram-se as suas ‘Poesias’. Os ‘Inéditos e Esparsos’ foram editados, em dois volumes, em 1910”, é referido. A nota adianta ainda que, em meados do século XX, “foi compilada a sua produção na área do teatro”.

A obra de Júlio Dinis, como lembra a autarquia da Guarda, “está classificada como manifestação da transição literária entre o estilo romântico e o realismo”. A homenagem da BMEL a Júlio Dinis inclui ainda, no dia 12 de setembro, às 18 horas, a exibição do documentário “As pupilas do Senhor Reitor”, que é destinado ao público em geral.

Para além das iniciativas dedicadas ao escritor Júlio Dinis, a Biblioteca Municipal da Guarda apresenta, entre 06 e 28 de setembro, a exposição fotográfica de Paulo Velosa intitulada “One more day in Neverland”, que é ilustrativa de um diário de viagem por terras da América Latina.

Da programação merece também destaque um recital de poesia, por Ângelo Marques e Suzete Marques, no dia 19, às 21h30. “Neste recital, a poesia e a música apresentam-se de mãos dadas, o canto dá voz a alguns dos maiores poetas e escritores da língua portuguesa, nomeadamente Camões, Florbela Espanca, Natália Correia, Pessoa, Eugénio de Andrade, Sophia de Mello Breyner, Torga, Saramago e António Gedeão, e dos músicos José Mário Branco, Janita Salomé, Adriano Correia de Oliveira, Amélia Muge, Fausto, José Afonso, entre outros”, lê-se na nota da autarquia da Guarda.

No dia 24, às 18 horas, será apresentada a antologia poética “Mundo Real Poético”, de Carlos d’Abreu e, no dia 26, às 17h30, o livro “Comportamento à fadiga, fluência e fratura de betões polimétricos”, da autoria de Delfim Monteiro.




Conteúdo Recomendado