Anunciado reforço de médicos para hospital e centro de saúde de Seia

A Unidade Local de Saúde da Guarda vai reforçar o número de médicos no hospital e no centro de saúde de Seia, anunciou hoje a Comissão de Saúde, Infraestruturas e Coesão Territorial da Assembleia Municipal local.

A situação “muito difícil e gravíssima” que se vive no concelho de Seia em relação à prestação pública de cuidados de saúde primários e hospitalares levou aquela comissão a pedir reuniões a várias entidades.

Os elementos da Comissão de Saúde, Infraestruturas e Coesão Territorial da Assembleia Municipal de Seia, composta por representantes de todos os partidos e de grupos de cidadãos representados naquele órgão autárquico, já reuniram com o coordenador do centro de saúde de Seia e com o Conselho de Administração (CA) da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda, responsáveis pela gestão dos serviços.

Em comunicado hoje enviado à agência Lusa, a comissão refere que, da presidente do CA da ULS da Guarda, Isabel Coelho, obteve garantias de que “a partir do início do mês de novembro o centro de saúde de Seia passará a contar com mais uma nova médica de família” e que será “solicitada à tutela a abertura, no próximo ano civil, de mais três vagas para médicos/as de família para o centro e suas extensões”.

“Nas próximas semanas” também “serão melhoradas as instalações sanitárias do edifício do centro de saúde”, acrescenta.

Em relação ao hospital de Seia, “estão a ser preparadas algumas contratações de médicos para suprir carências em várias especialidades, como Urologia e Ortopedia”, e será “solicitada à tutela a abertura, no próximo ano civil, de uma nova vaga de médico de medicina interna”, lê-se na nota.

Ainda de acordo com a fonte, “foi já aprovada a abertura de concurso público para fornecimento e instalação do novo equipamento de raios X para o Hospital Nossa Senhora de Assunção, que se prevê estar em funcionamento até ao final do 1.º trimestre de 2020”.

Vai ainda ser “estudada a possibilidade de, na época de inverno, ser alterada pontualmente, e apenas se possível (sempre no respeito pelos protocolos operacionais/clínicos em vigor), a disposição do serviço de urgência do hospital, por forma a atenuar as dificuldades de espaço sentidas e a melhorar a capacidade de resposta”.

“Consciente do muito que continua a subsistir para melhorar e resolver”, a Comissão de Saúde, Infraestruturas e Coesão Territorial da Assembleia Municipal de Seia vai solicitar, com “caráter de urgência”, um “novo conjunto de reuniões com diversos outros responsáveis políticos e técnicos”, nomeadamente a Administração Regional de Saúde do Centro, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro e a ministra da Saúde.




Conteúdo Recomendado