Vacinas da meningite B, HPV e rotavírus no Plano Nacional em outubro de 2020

As vacinas contra a meningite B, vírus do papiloma humano e rotavírus vão passar a fazer parte do Plano Nacional de Vacinação, anunciou esta sexta-feira a Direção-Geral da Saúde.

As vacinas destinam-se a prevenir a meningite B, que pode causar a morte ou deixar sequelas graves nas crianças; para evitar a infeção pelo vírus do papiloma humano (HPV), responsável pelo cancro do cólo do útero, entre outros; e a que previne o rotavírus, responsável pela gastroenterite aguda nos mais novos.

No final de 2018, na discussão do Orçamento do Estado para este ano, o PCP contou com os votos a favor do BE e do PSD para fazer aprovar a introdução destas três novas vacinas no Plano Nacional de Vacinação (PNV). O PS votou contra e o CDS-PP absteve-se. Mas a tutela determinou que seria a Direção-Geral da Saúde (DGS) a determinar em que moldes e quais os critérios que levariam à sua administração.

Na altura, Graça Freitas lamentou que a DGS e a Comissão Técnica de Vacinação não tivessem sido ouvidas pelos partidos, receando que o Parlamento estivess a a abrir um precedente “num assunto que é do foro da prescrição médica”.



Conteúdo Recomendado