Turismo interno diminui

Os residentes em Portugal realizaram 4,3 milhões de viagens turísticas no segundo trimestre de 2015, uma quebra de 1,6% face ao mesmo período do ano passado.

De acordo com os dados divulgados pelo INE na passada sexta-feira, dia 30 de outubro, “este resultado reflecte, em parte, a forte variação negativa ocorrida no mês de abril, associada a efeitos de calendário, visto que nos dois meses seguintes se registou um crescimento das viagens de turismo efetuadas por residentes”.

No período em análise, 18,7% da população residente em Portugal efetuou pelo menos uma deslocação turística, um decréscimo de 0,4 p.p. face ao trimestre homólogo de 2014, sendo que o sexo feminino predominou entre os turistas, com 52,3%, tendo-se evidenciado nos escalões 25-44 anos (+2,3 p.p. face ao sexo masculino) e 65 e mais anos (+2,1 p.p.)

Na motivação, as visitas a “familiares ou amigos” caíram 4,9%, mas, no entanto manteve-se como motivo principal, reunindo 44,9% viagens. As viagens por “lazer, recreio ou férias” aumentaram 4,2%, para os 39,5% do total.

Ainda segundo o INE, a quebra nas viagens dos residentes prende-se com o menor número de deslocações a destinos domésticos, uma variação negativa e 1,9% face ao segundo trimestre de 2014. As viagens turísticas dos residentes para o estrangeiro registaram um ligeiro aumento de 0,9%.

No que respeita o alojamento, a categoria de “alojamento particular gratuito” concentrou 61,4% das dormidas, seguida dos “hotéis e similares”, com 30,1% das dormidas.

Em termos de meios, o transporte aéreo acumulou 10,5% das viagens, um aumento de 1,5 pontos percentuais; o automóvel concentrou 79,4% do total de deslocações (+0,9 p.p.); enquanto a utilização de outros meios (outros rodoviários, ferroviário, entre outros) foi responsável por 10,2% das viagens, uma quebra de 2,3 pontos percentuais.




Conteúdo Recomendado