UBIMedical arranca em abril com consultas médicas abertas ao público

Arrancam em abril as consultas do viajante e de Endocrinologia no UBIMedical, infraestrutura de investigação na área da saúde associada à Universidade da Beira Interior (UBI). Asseguradas exclusivamente por médicos que são docentes da Faculdade de Ciências da Saúde da UBI, a intenção é alargar a oferta a outras valências.

“Estamos a contar iniciar as atividades da Clínica UBIMedical agora em abril, com consultas médicas das especialidades de Endocrinologia (doenças da tiroide, diabetes e outras doenças hormonais) e Medicina do Viajante, que são duas lacunas que a região tem neste momento”, explica Manuel Lemos,  diretor do UBIMedical.

Médico e docente na UBI, Manuel Lemos será o especialista responsável pelas consultas de Endocrinologia, enquanto que as consultas do viajante – indicadas para pessoas que pretendem viajar para destinos com propensão para doenças infecciosas, como a malária ou a sarna – ficarão sob a responsabilidade de João Luís Baptista, igualmente médico especialista e docente na UBI. De resto, os serviços prestados na Clínica UBIMedical serão levados a cabo exclusivamente por médicos docentes da Faculdade de Ciências da Saúde (FCS) da UBI.

“De momento vamos começar com estas duas especialidades, mas espera-se um aumento progressivo do número de valências”, refere o diretor do UBIMedical. As consultas vão ser abertas ao público em geral e “funcionarão como que se de uma outra clínica se tratasse”, garante Manuel Lemos.

Sublinhando que “a clínica já está certificada pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS)”, aquele responsável explica que “as consultas são cobradas”, sendo que, “qualquer paciente terá a garantia de um serviço de qualidade e estará também a contribuir para a investigação médica feita na região”. Isto porque se trata de um projeto que servirá também para contribuir para o financiamento da própria estrutura UBIMedical. “Estas consultas enquadram-se na missão do UBIMedical, que é a investigação e o desenvolvimento na área médica e a interação com a comunidade. O que pretendemos fazer é aproveitar os recursos humanos e técnicos que tem para gerar receitas próprias, que possam assegurar o financiamento de projetos de investigação na área médica”, esclarece Manuel Lemos.

Outra das particularidades destas consultas é o facto de beneficiarem os colaboradores da universidade. “Optámos por dar condições especiais aos professores, funcionários e alunos da UBI, que terão um desconto de até 50 por cento do valor da consulta. Esta também é uma forma da comunidade académica beneficiar da existência do UBIMedical”, justifica o diretor.

“Provavelmente não haverá horário fixo para as consultas porque, como os médicos também são docentes da universidade, nem sempre têm a mesma disponibilidade todas as semanas. Serão marcadas consoante a disponibilidade dos médicos, que não estarão a fazer isto a tempo inteiro. Em princípio, serão consultas semanais em horário a definir”, refere o especialista. De resto, podem ser marcadas presencialmente ou por telefone (275241270).

De referir, que as consultas que arrancam já no próximo mês de abril se vão realizar no UBIMedical, uma infraestrutura com cerca de um ano de atividade, “que engloba uma incubadora de empresas externas na área de serviços médicos e oito laboratórios internos geridos por docentes e investigadores da própria UBI, que desenvolvem determinados produtos e serviços”, lembra Manuel Lemos. “O que se pretende é criar um ecossistema em que haja interação entre investigação e serviços da universidade, com empresas externas da área da saúde. Portanto, é uma incubadora e também um local onde a própria universidade pode gerar produtos e serviços que tenham valor comercial, tentando também romper um bocadinho com a dependência em relação a financiamentos de entidades externas. Este serviço da Clínica UBIMedical também surge neste contexto”, explica aquele responsável.



Conteúdo Recomendado