Seia investe um milhão de euros na reabilitação de infraestruturas afetadas pelos incêndios em 2017

O município de Seia, no distrito da Guarda, está a investir mais de um milhão de euros em obras de reabilitação de vias, infraestruturas e equipamentos municipais danificados pelos incêndios de outubro de 2017.

Segundo a Câmara presidida por Carlos Filipe Camelo, as intervenções programadas “destinam-se à recuperação das infraestruturas e equipamentos essenciais às populações, nomeadamente o abastecimento de água, estradas municipais e arruamentos, sinalética e segurança rodoviária, num investimento de 1.042.327,75 euros, comparticipado pelo Fundo de Solidariedade da União Europeia (FSUE)”.

A autarquia refere em comunicado hoje enviado à agência Lusa que o investimento mais significativo, num total de 900 mil euros, está relacionado com trabalhos a executar nas estradas municipais.

As intervenções neste setor “visam repor as condições de circulação rodoviária e prendem-se, essencialmente, com a repavimentação das vias, marcações rodoviárias, reposição da sinalética vertical e a instalação de guardas metálicas”, segundo a fonte.

De acordo com o município de Seia, na Serra da Estrela, no âmbito do plano de intervenção, atualmente estão em curso as obras de reabilitação das Estradas Municipais EM 504, EM-504-1 e EM-507 (Folgosa da Madalena, Sameice, Travancinha) e do caminho municipal 1124 (Seia – Vales).

Para além da instalação de equipamentos de segurança e de sinalização, “também estão previstas estruturas de estabilização da via, à semelhança da empreitada que está a decorrer no Caminho entre a EN230 – Cide – Gondufo e na EM 513 (Senhora do Desterro)”, lê-se.

“Estão igualmente em execução os trabalhos de estabilização da via em Corgas (São Cosme), assim como a instalação de equipamentos de segurança e sinalética na EM 515-1/514 Corgas – Cabeça de Eiras”, sublinha.

O município de Seia também está a proceder à reabilitação de infraestruturas e de equipamentos da rede de distribuição de água e de tratamento de águas residuais.

A fonte refere que “as reparações são diversas e incidem na substituição e reparação de elementos danificados em vários reservatórios de água” nas localidades de Vide, Silvadal, Balocas, Baiol, Barriosa, Baloquinhas, Gondufo, Barroco da Malhada, Cide, Malhada das Cilhas, Coucedeira, Abitoreira, Casas Figueiras, Paradinhas e Monteiro, e nas estações de tratamento de águas residuais de Lajes, Maceirinha, Santa Eulália, Figueiredo, Carragozela, Ortigueira, Póvoa Nova, Carvalhal da Louça e Sabugueiro.

“O desenvolvimento de toda a operação é o culminar de um complexo processo de análise técnica e financeira, com a morosidade imposta por diversos procedimentos, mediado entre o exaustivo levantamento dos prejuízos, a submissão da candidatura, a abertura do procedimento e a sua efetiva adjudicação”, explica a autarquia.

Os prejuízos financeiros causados pelos incêndios dos dias 15, 16 e 17 de outubro de 2017 no concelho de Seia foram superiores a 10 milhões de euros, segundo um levantamento municipal.



Conteúdo Recomendado