Raquel Tavares com lotação esgotada no Teatro Municipal da Guarda

A fadista sobe ao palco do grande auditório, no próximo dia 3 de fevereiro, a partir das 21h30.

Raquel Tavares ganhou uma notoriedade nacional no fado pela primeira vez em 1997, ano em que, com 12 anos, venceu na Grande Noite do Fado. Em 2006 Raquel Tavares recebeu o “Prémio Amália Rodrigues” para “Revelação Feminina”, da Fundação Amália Rodrigues e já em 2007 seria a vez da Casa da Imprensa lhe atribuir o “Prémio Revelação”. A fadista foi uma das vozes escolhidas para participar na homenagem a Adriano Correia de Oliveira, tendo ainda participado noutro tributo no mesmo ano, neste caso no documentário de João Pedro Moreira “Não me Obriguem a Vir para a Rua Gritar : Tributo a Zeca Afonso”. Por esta altura, as atuações de Raquel estendem-se além-fronteiras, com visitas registadas a vários países e cidades como Paris, Roma, Madrid e Santiago do Chile. Em 2016 foi lançado “Raquel”, um álbum de sucesso que contou com participações especiais de Rui Massena, Carlão e Rui Veloso e que marcaria o mercado discográfico português. Recentemente, a fadista atravessou o Oceano Atlântico, experimentou um repertório menos habitual, mas que a acompanha desde menina, e gravou um CD de homenagem com 14 canções do brasileiro Roberto Carlos.

Raquel Tavares sobe ao palco do Teatro Municipal da Guarda acompanhada por Didi Pinto na Guitarra Portuguesa; André Dias na Viola Acústica e Bernardo Viana na Bateria.




Conteúdo Recomendado