Programa Proder “traz” dinheiro para agricultores

Estamos preocupados com as nossas terras mas temos que nos mexer” refere o Director da DRAPC… Estamos preocupados com as nossas terras mas temos que nos mexer” refere o Director da DRAPC A Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro (DRAPC) esteve, esta semana, na Guarda, num encontro com autarcas e associações de agricultores, […]

Estamos preocupados com as nossas terras mas temos que nos mexer” refere o Director da DRAPC…

Estamos preocupados com as nossas terras mas temos que nos mexer” refere o Director da DRAPC A Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro (DRAPC) esteve, esta semana, na Guarda, num encontro com autarcas e associações de agricultores, para falar sobre o Programa de Desenvolvimento Rural – Prover, que vai distribuir perto de 900 milhões de euros para iniciativas agrícolas.
 
Algumas dezenas de autarcas e responsáveis de vários sectores da agricultura da região estiveram, esta semana, em contacto com responsáveis da Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro, que promoveram um seminário para dar a conhecer os incentivos do Estado com o programa Prover, para apoio a iniciativas do mundo rural.
 
O director da DRAPC explica que já existem actualmente apoios para iniciativas agrícolas, mas existe um grande empenho em “criar postos de trabalho”, que passam pela diversificação da actividade agrícola, desde a padaria até ao salão de cabeleireiro, com o objectivo de “dinamizar os territórios rurais”. “Queremos fazê-lo com as pessoas e queremos que elas tomem consciência do que é possível fazer e apoiar, como, de algum modo”, justificando assim a presença dos presidentes de Junta, sendo estes facilitadores para “divulgar os meios que estão disponíveis para apoiar o desenvolvimento”.
 
O Proder desenvolve-se em duas áreas distintas, uma mais complexa e exigente, virada para a competitividade, para empresas e empresários agrícolas, e ai, explica Rui Moreira, “apenas estamos disponíveis para apoiar os melhores projectos”, mas existirá outro eixo de acção que apoia o mundo rural sem grandes burocracias, procurando “levar investimento e conforto ao agricultor, levar áreas subsidiárias daquilo que é a qualidade de vida no mundo rural”.
 
É preciso “força de vontade”
 
O Prover é um pacote de incentivos a nível nacional, onde estão disponíveis perto de 900 milhões de euros e, por isso, Rui Moreira considera que será necessária força de vontade por parte dos agricultores. “Nós se queremos desenvolvimento, temos de fazer por ele, temos que correr, não podemos estar à espera que os outros façam tudo por nós”, refere o director da DRAPC, que salienta, “estamos verdadeiramente preocupados com as nossas terras, com as nossas gentes, mas temos que nos mexer, e é este alerta que também é preciso deixar”
 
Do “bolo” de verbas disponíveis no Prover, Rui Moreira diz que os agricultores do distrito da Guarda, se quiserem uma “fatia do bolo”, terá de haver “força de vontade”. “Só teremos essa fatia se pegarmos na faca e nos prontificarmos a cortar uma boa fatia. É preciso fazer por isso”, aponta o responsável da Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro.



Conteúdo Recomendado