Líder demissionário da Federação do PS/Guarda promete continuar a ajudar o partido

Pedro Fonseca demitiu-se ontem do cargo por a proposta da distrital de candidatos às eleições legislativas ter sido chumbada pela Comissão Política Distrital.

O presidente demissionário da Federação Distrital do Partido Socialista (PS) da Guarda, Pedro Fonseca, disse ontem que vai continuar militante e que pretende contribuir para a reeleição de António Costa como primeiro-ministro.

Pedro Fonseca demitiu-se ontem do cargo por a proposta da distrital de candidatos às eleições legislativas ter sido chumbada pela Comissão Política Distrital.

Na terça-feira à noite, a Comissão Política da Federação da Guarda do PS chumbou por um voto de diferença (29 contra e 28 a favor) a proposta de lista de candidatos a deputados apresentada pelo líder desta estrutura.

A Federação da Guarda do PS candidatou em segundo e terceiros lugares Pedro Fonseca (o líder desta estrutura) e Olga Marques (ex-presidente das Mulheres Socialistas neste distrito) – e, na prática, foram estes (entre outros) os nomes rejeitados na votação realizada na terça-feira à noite.

A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, é a cabeça de lista do PS pela Guarda, porque a indicação do “número um” por cada círculo eleitoral é uma competência do secretário-geral socialista, António Costa.

No seguimento da votação que reprovou a lista apresentada pela Federação, Pedro Fonseca apresentou o pedido de demissão do cargo ao secretário-geral do PS e a liderança da estrutura vai ser assumida pelo vice-presidente José Luís Cabral.

Em conferência de imprensa, Pedro Fonseca explicou que decidiu demitir-se porque é o responsável pela não aprovação da lista apresentada.

“A leitura política a extrair é para mim evidente: o apoio que eu tinha na Comissão Política Distrital desapareceu. Não podendo contar com esse apoio, não preciso que ninguém me indique a porta, eu sei que é chegado o momento de sair”.

Acrescentou que “há mais vida para além da política” e que se retirará da política ativa e regressará à condição de militante de base.

“Será nessa qualidade que darei o meu contributo para uma vitória expressiva do PS no país e no distrito e para a reeleição do nosso primeiro-ministro, o meu camarada secretário-geral António Costa, no próximo dia 06 de outubro”, disse.

Pedro Fonseca também já comunicou à Comissão Política Concelhia local a renúncia ao mandato de vereador na Câmara Municipal da Guarda.

O líder demissionário reafirmou a sua “total concordância com a escolha de Ana Mendes Godinho para cabeça de lista, uma pessoa com um trabalho político extraordinário, quer no partido, quer no Governo, e com qualidades humanas unanimemente reconhecidas”.

A Comissão Política Concelhia do PS, presidida por Agostinho Gonçalves, também já manifestou, em comunicado, “o seu total apoio à secretária de Estado do Turismo como cabeça de lista do PS pelo Círculo Eleitoral da Guarda nas próximas eleições legislativas”.

Em 2015, a lista socialista na Guarda foi encabeçada por António José Santinho Pacheco, seguido da atual porta-voz do PS, Maria Antónia de Almeida Santos.




Conteúdo Recomendado