INE: População portuguesa aumentou pela primeira vez em 10 anos graças à imigração

O país contabiliza mais 19.292 pessoas do que em 2018. Este crescimento não se verificava desde 2009.

Portugal registou no ano passado uma taxa de crescimento efetivo positiva de 0,19% no que diz respeito à população residente, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Trata-se de uma taxa de crescimento positiva que não se verificava desde 2009 e para a qual contribuiu o aumento do saldo migratório.

Até ao dia 31 de dezembro de 2019, a população residente em Portugal foi estimada em 10.295.909 pessoas, um acréscimo de mais 19.292 pessoas do que em 2018.

O saldo migratório avançou para 44.506 pessoas, o que compara com as 11.570 pessoas no período homólogo. Se o saldo migratório registou uma subida, pelo décimo primeiro ano consecutivo o saldo natural teve uma taxa de crescimento negativa de 0,25% (menos 25.214 pessoas do que em 2018).

O saldo migratório foi positivo em todas as regiões NUTS II – a Nomenclatura das Unidades Territoriais para Fins Estatísticos – mas teve maior expressão na Área Metropolitana de Lisboa, no Centro e no Norte. De resto, estas três regiões, juntamente com a Região Autónoma da Madeira, foram as únicas a contribuir para o aumento da população em 2019.

Segundo o INE, no ano passado metade das pessoas a residir em Portugal tinham mais de 45,5 anos, o que representa uma subida de 4,3 anos relativamente a 2009. O envelhecimento demográfico continua a acentuar-se, tendo o índice de envelhecimento atingido o valor de 163,2 idosos por cada 100 jovens.

A exceção neste aspecto são os Açores. É a única região onde o número de jovens é superior ao número de idosos (97,2 idosos por 100 jovens).




Conteúdo Recomendado