Idanha-a-Nova: 60 milhões em projetos de nozes e amêndoas Amigos do Ambiente

Os promotores de dois grandes investimentos agrícolas do concelho de Idanha-a-Nova, dedicados à produção de nozes e de amêndoas, assinaram um compromisso com a Câmara Municipal de Idanha-a-Nova para a adoção de boas práticas ambientais.

O acordo promove a cooperação no âmbito da estratégia da Bio-Região de Idanha-a-Nova, integrada na Rede Internacional de Bio-Regiões, para associar as culturas de frutos de casca rija às melhores práticas de sustentabilidade ambiental.

“Estamos a falar de dois grandes projetos com capitais internacionais, que totalizam mais de 60 Milhões de Euros de investimento. Ambos decidiram assumir a aposta na sustentabilidade económica, social e ambiental, para aqui desbravarem os novos caminhos da sustentabilidade ambiental, que por vezes os grandes investimentos não têm em conta”, afirma o presidente da Câmara de Idanha-a-Nova.

Armindo Jacinto sublinha que “estes projetos, que já estão a criar riqueza e dezenas de empregos na região, adotam tecnologias e práticas de sustentabilidade adequadas à preservação da água e dos solos. Também estão a estudar metodologias para uma futura conversão em agricultura biológica, com a instalação de projetos-piloto com o apoio técnico do CoLab Idanha Food Lab”.


No âmbito do novo acordo, os promotores comprometem-se a adotar medidas como o enriquecimento nutricional do solo; a criação de condições favoráveis para inexistência de pragas e doenças; a promoção do equilíbrio ecológico e preservação da biodiversidade; e a exploração dos recursos hídricos para irrigação de forma equilibrada.


A par da responsabilidade ambiental, o Grupo Vera Cruz, com um investimento de 50 Milhões de Euros na produção de amêndoa considerado PIN – Projeto de Potencial Interesse Nacional, e a sociedade Trust Castel, que até à data já investiu cerca de 10 Milhões de Euros na produção de nozes, assumem compromissos de natureza económica e social.

Designadamente, comprometem-se a construir em Idanha-a-Nova as fábricas para descasque de Noz e Amêndoa, criar postos de trabalho residentes no concelho de Idanha-a-Nova; utilizar prestadores de serviço locais adequados às suas necessidades; colaborar com a Câmara de Idanha-a-Nova e outras entidades públicas locais na promoção da região; e apoiar o desenvolvimento do ecossistema empresarial local por via de parcerias e alocação de recursos humanos, técnicos e financeiros.

A Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, reconhecendo a importância dos projetos empresariais do Grupo Vera Cruz e da sociedade Trust Castel, em particular a construção das fábricas em Idanha-a-Nova, na criação de postos de trabalho e na atração de investimento, decidiu propor à Assembleia Municipal a atribuição de isenção em sede de Imposto Municipal sobre a Transmissão Onerosa de Imóveis (IMT).

A medida incide sobre a aquisição dos terrenos para instalação das culturas de nozes e amêndoas, para que as verbas possam ser canalizadas para investimento, mas também apoiar a formação profissional de trabalhadores e a instalação de equipamentos industriais no concelho.
Com efeito, o código do IMT prevê isenções para aquisições de bens situados em regiões economicamente mais desfavorecidas, quando para efeitos de atividades agrícolas ou industriais consideradas de superior interesse económico e social.

As culturas de frutos de casca rija, que já criaram dezenas de postos de trabalho, enquadram-se nas políticas de atração de investimento sustentável, no âmbito do programa Green Valley da estratégia Recomeçar, tendo em vista o aumento do nível de produção, inovação, rendimento e poder de compra do concelho, logrando-se assim um rejuvenescimento da sua estrutura demográfica e do nível de qualidade de vida dos seus cidadãos, através da criação de condições propícias à manutenção das novas gerações no território, à atração de novos investidores e residentes, de forma diferenciadora e em respeito pelo meio ambiente.



Conteúdo Recomendado