Governo garante que prazos de recuperação do Hotel de Turismo da Guarda “estão a ser cumpridos”

Dinheiro Vivo

A garantia foi dada pela secretária de Estado do Turismo, Rita Marques.

A secretária de Estado do Turismo disse este sábado que os prazos para a recuperação do Hotel de Turismo da Guarda, no âmbito do programa Revive, “estão a ser cumpridos” e que o processo “não suscita especial preocupação”.

“Neste momento, os prazos estão a decorrer, estão a ser cumpridos. As nossas expectativas [do Governo] são as que o hotel possa abrir nos ‘timings’ previstos. Temos estado sempre em contacto via Turismo de Portugal com a equipa promotora e, portanto, os sinais são de tranquilidade, nesta altura”, disse Rita Marques.

A secretária de Estado do Turismo falava aos jornalistas, na Guarda, à margem de uma reunião com o presidente da Câmara Municipal local, no âmbito de uma visita ao Centro de Portugal.

A reabilitação do edifício do Hotel de Turismo ainda não foi iniciada uma vez que a empresa que ganhou o concurso para a sua recuperação cedeu a posição contratual e a obra vai ser executada por outro grupo económico.

O contrato de concessão de recuperação do Hotel de Turismo da Guarda, no âmbito do programa Revive, foi assinado em maio de 2018 com o consórcio MRG Property e MRG Construction, mas, devido a dificuldades financeiras, o consórcio cedeu a posição contratual à empresa Greenfield SGPS.

Confrontada hoje com o assunto, a secretária de Estado do Turismo referiu que, se o processo dependesse do Governo, “provavelmente” estaria “noutro registo”.

“Ainda assim, o registo em que se encontra o processo é um registo que não suscita especial preocupação”, assegurou.

Segundo Rita Marques trata-se de um “assunto complexo”, mas que “está a evoluir”.

O presidente do município da Guarda, Carlos Chaves Monteiro (PSD), referiu aos jornalistas que já aconteceu o processo de cessão da posição contratual da empresa que ganhou o concurso e aguarda que o mesmo “possa chegar o mais rapidamente possível ao Turismo de Portugal e que o reconheça e autorize”.

O autarca considera importante que o processo burocrático possa ser agilizado pelos diversos intervenientes para que os prazos sejam cumpridos.

“Eu acredito que a breve trecho possamos, efetivamente, contar com a análise e a observação do projeto, que é isso que nos interessa e que interessa à Guarda, nesta articulação com o Governo”, declarou.

Segundo o autarca da Guarda, com a Greenfield SGPS o Hotel de Turismo “será vocacionado para o turismo de saúde no segmento de luxo” e terá cinco estrelas.

O futuro hotel terá “100 camas, das quais 50 serão residência sénior e as restantes 50 hotel de cinco estrelas.

“O investimento, reabilitação e equipamento será suportado pela Greenfield SGPS e ascende a um valor de 7,9 milhões de euros. Existe a convicção por parte desta empresa de que a primeira pedra será lançada no primeiro semestre de 2020, como momento simbólico do início das obras”, disse Carlos Chaves Monteiro em setembro de 2019.

O contrato de concessão de recuperação do Hotel de Turismo da Guarda foi assinado no dia 04 de maio de 2018 pelo presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, e pelos representantes do consórcio MRG Property e MRG Construction.



Conteúdo Recomendado