Exames/Secundário: Escola Pública melhor classificada subiu quase 300 lugares no ‘ranking’

Este ano, o primeiro lugar da tabela “sobe e desce” é ocupado pela Dr. Serafim Leite, em São João da Madeira, que subiu do 330.º lugar para o 32.º.

A escola pública melhor classificada entre as secundárias passou despercebida no ano anterior, quando ocupava o 330.º lugar entre meio milhar de estabelecimentos de ensino, sendo agora a que mais subiu no ‘ranking’ elaborado pela Lusa.

O desempenho dos alunos da Escola Básica e Secundária Dr. Serafim Leite, em São João da Madeira, fez com que o estabelecimento de ensino se destacasse como a pública com melhor média nacional nos exames de 2019, segundo uma análise realizada pela agência Lusa a dados disponibilizados pelo Ministério da Educação.

A média das 155 provas dos alunos internos foi de 13,29 valores (numa escala de zero a 20), levando a escola de São João da Madeira a ocupar o 1.º lugar ‘ranking’ das públicas e o 32.º da tabela que junta estabelecimentos públicos e privados.

A escola destaca-se também num outro ‘ranking’ da Lusa, que compara as classificações nas tabelas gerais de um ano para o outro, permitindo identificar os casos que subiram ou desceram muito repentinamente.

Este ano, o primeiro lugar da tabela “sobe e desce” é ocupado pela Dr. Serafim Leite, em São João da Madeira, que subiu do 330.º lugar para o 32.º. Depois aparece a Escola Secundária Pinhal do Rei, na Marinha Grande, que também teve uma forte subida, passando do 416.º lugar do ‘ranking’ de 2018 para 212.º lugar este ano.

No grupo dos estabelecimentos de ensino que subiram mais de 200 lugares aparece ainda a Escola Básica e Secundária de Arfa e Lima, em Viana do Castelo, que disparou do 316.º lugar para 114.º. Há depois cerca de 40 escolas que subiram mais de uma centena de posições e outros tantos que subiram algumas dezenas de lugares.

No geral, na análise das escolas que mais subiram e desceram nas médias dos exames nacionais do ensino secundário foram tidas em conta 514 escolas, mas houve 20 que ficaram de fora por falta de dados que permitissem fazer essa comparação. Depois, houve 247 estabelecimentos que subiram, 240 que desceram e outras sete que se mantiveram inalteráveis.

Os estabelecimentos de ensino que mantiveram a sua posição inalterada em relação aos ‘rankings’ do ano passado dividiram-se entre colégios e escolas publicas: O Colégio Nossa Senhora do Rosário, no Porto, voltou a ocupar o 1.º lugar da tabela, o Colégio Pedro Arrupe, em Lisboa, o 16.º, a Escola Secundária Alves Martins, em Viseu (39.º), o Colégio do Minho (47.º), a Escola Secundária Carlos Amarante, em Braga (57.º), a Escola Secundária Quinta das Flores, em Coimbra (92.º), e a Escola Secundária José Belchior Viegas, em Faro (306.º).

Já o Instituto de Ciências Educativas, em Odivelas, destacou-se este ano ao descer mais de 300 lugares: em 2018 o estabelecimento de ensino particular ocupava o 63.º lugar e este ano ficou em 387.º. Houve outras três escolas – Celorico da Beira, Oeiras e Santa Comba Dão – que desceram mais de 200 lugares.

Conheça o ranking das escolas AQUI.




Conteúdo Recomendado