Eduardo Lourenço, Ladislau Patrício e Helga Moreira em destaque na programação da BMEL

A Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço inicia o ano dando seguimento a uma programação variada, dirigida a diversos tipos de público e idades.

A primeira agenda cultural de 2020 da Biblioteca Municipal da Guarda é composta por apresentações de livros, conferências, exposições, contos, visitas à biblioteca, oficinas variadas, conversas, teatro de marionetas, sessão de mediação de leitura para bebés e um espetáculo de dança-teatro.

São destaque deste trimestre: o ciclo de conferências internacionais “A Europa dos Escritores” que focará o papel relevante da literatura no diálogo entre as civilizações na construção das identidades, como o demonstra a primeira conferência deste ano “A literatura como matriz do património artístico da Europa” por Ernesto Rodrigues, a 13 de fevereiro, pelas 18h00; a sexta edição do projeto “A Terra da Escrita”, em pareceria com os agrupamentos de escolas do concelho da Guarda, e que este ano tem como autores locais escolhidos Eduardo Lourenço, Ladislau Patrício e Helga Moreira. Para dar a conhecer a sua vida e obra até ao final do presente ano letivo, através da realização de exposições com visitas guiadas, oficinas, encontros com o autor e conversas. Como é o caso das conversas entre António Pedro Pita e alunos do secundário, sobre Eduardo Lourenço e a sua obra, nos dias 5 e 6 de fevereiro, e o encontro com a autora Helga Moreira, nos dias 19 e 20 de março.

Destaca-se ainda da programação a Prova Municipal do Concurso Nacional de Leitura no dia 5 de fevereiro, para selecionar os concorrentes do nosso concelho que participarão na Fase Intermunicipal.

No que respeita à apresentação de livros, durante os próximos três meses serão apresentadas doze publicações de várias temáticas, que permitirão um contacto direto com os escritores como Ana Margarida de Carvalho, Maria Antonieta Garcia, João Nuno Azambuja, Jerónimo Jarmelo, Teresa Martins Marques, Carlos Carvalheira, entre outros. “Vida com vigor na terceira idade”, de Fátima Quelhas Figueiredo, será a primeira apresentação do ano na BMEL, já no próximo sábado, dia 11 de janeiro, às 16h00.

Já a 6 de fevereiro, às 18h00, terá lugar a conferência “Heterodoxia”: Historicidade e Tragédia”, por António Pedro Pita. “A noção de “heterodoxia” (ou “o espírito da heterodoxia”) fixou-se definitivamente ao percurso teórico e à atitude subjetiva de Eduardo Lourenço, de modo a tornar-se mais a identificação de um universo que a chave para o entendimento de uma problemática. (…) “O propósito da conferência é revisitar a noção de heterodoxia, descolá-la dos significados mais imediatos e/ou banais, sublinhar que não foi uma noção fixada definitivamente em 1949 e mostrar que é o nome lourenciano para designar uma relação com a historicidade, cuja especificidade não é alheia à dimensão trágica.”

Por último, de referir as oficinas a realizar durante este período de tempo nomeadamente: a oficina de Serigrafia, por Diana Gomes, realizada no âmbito do projeto “A Terra da Escrita” às sextas-feiras das 14h30 às 16h00, para os alunos de artes; a Oficina de Banda Desenhada com Patrícia Guimarães, dia 18 de janeiro das 10h00 ao meio dia (público em geral); o “Workshop de escrita, através da imagem, som e leitura: escrever, escrever bem, escrever literatura – não é tudo a mesma coisa” (público em geral) e, por fim, A Oficina plástica de leitura “Palavra Poema”, por Andreia Brites, inserida também no projeto “A Terra da Escrita”.

Pode consultar a agenda na íntegra AQUI.




Conteúdo Recomendado