Quinta dos Termos investe em Castelo Branco

https://scontent.flis5-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14469432_1345874308758277_5858431931755966566_n.jpg?oh=05af12b3e9d506a3afcef592c7af91b7&oe=58DABDE3

A empresa produtora de vinhos, sediada em Belmonte, adquiriu a Herdade da Bica, no Alto da Lousa, onde está a investir dois milhões de euros.

“Estamos a dar corpo ao projeto da Herdade da Bica onde já plantámos 12 hectares, vão ser plantados mais 18 hectares na próxima primavera, temos tudo pronto para isso, é um investimento que entre plantação, compra da herdade e infraestruturas será de dois milhões de euros nesta primeira fase”.

A ideia é aproveitar o clima a sul da Gardunha para produzir um vinho complementar à Quinta dos Termos, isto é, o vinho do ano que possa ser colocado no mercado no ano da colheita “nós na Quinta dos Termos falamos de vinhos de qualidade, de grande longevidade, mas quando já têm dois ou três anos, quando falamos de vinhos novos temos que ter vinhos menos agressivos, e foi essa a ideia, os vinhos que vamos ali produzir é já um vinho com perfil alentejano porque de facto quando passamos a Gardunha o clima altera-se, esperamos conseguir ali bons resultados num vinho complementar à Quinta dos Termos”.

Na Herdade da Bica, em Castelo Branco, será ainda aproveitada para a plantação de dois campos de experimentação “um de uma casta que quase ninguém conhece mas que é aqui da região de Oleiros, a Callum, vamos ver como é que se comporta aqui, o outro campo vai ser com a casta mais importante da região a Beira Interior, em termos de dimensão, que é o rufete”.

O objetivo é dentro de quatro anos ter no mercado os primeiros vinhos da Herdade da Bica, que se vão juntar aos 28 que a Quinta dos Termos comercializa atualmente.

Segundo o empresário, a Quinta dos Termos cresceu no ano passado 30% nas vendas, um crescimento que espera manter este ano.




Conteúdo Recomendado