Covid-19: Três mortos em lar da Santa Casa da Misericórdia de Trancoso

Segundo o provedor Joaquim Duarte, os três utentes que faleceram residiam na Estrutura Residencial para Idosos (ERPI) 2 da Santa Casa da Misericórdia de Trancoso.

A Santa Casa da Misericórdia de Trancoso, no distrito da Guarda, anunciou hoje que morreram três pessoas num dos três lares da instituição, na sequência de um surto de covid-19.

Segundo o provedor Joaquim Duarte, os três utentes que faleceram residiam na Estrutura Residencial para Idosos (ERPI) 2 da Santa Casa da Misericórdia de Trancoso.

Numa nota enviada à agência Lusa, a instituição refere que na sequência de testes ao covid-19 realizados na terça e na quarta-feira, na ERPI 2, do universo de 58 utentes foram registados “três casos negativos e 55 positivos encontrando-se, destes, quatro hospitalizados na Guarda”.

“Dos 41 funcionários a trabalhar nesta estrutura 16 apresentaram resultado positivo. Lamentamos profundamente o falecimento de três utentes desta estrutura”, acrescenta o provedor.

A Santa Casa da Misericórdia de Trancoso refere, ainda, que na ERPI 1, “do universo de 51 utentes regista-se, no momento deste comunicado, 49 casos negativos, número dos atuais residentes nesta estrutura”.

Na mesma unidade de apoio a idosos foram detetados, anteriormente, dois casos de utentes com teste positivo, mas foram “deslocados para a ala covid do edifício do Lar II”.

Os 38 funcionários da ERPI 1 “testaram negativo”.

A Misericórdia de Trancoso também realizou testes na ERPI de Cogula, tendo sido “sujeitos a testagem 24 utentes e 19 funcionários, todos eles com resultados negativos” para o SARS-CoV-2, vírus da covid-19.

O provedor garante que a direção da instituição “fará tudo o que estiver ao seu alcance” para providenciar a todos os utentes “as condições necessárias para poderem ultrapassar da melhor maneira possível esta fase difícil”.

A Santa Casa da Misericórdia de Trancoso lembra que no dia 28 de dezembro foi sinalizado um caso positivo de covid-19, numa das suas estruturas de apoio a idosos, e, “de imediato, mandou testar todo o universo de utentes e funcionários”.

Foram, então, detetados 13 utentes e três funcionárias com resultado positivo para o novo coronavírus que provoca a covid-19.

“Os resultados apresentados originaram a implementação imediata do plano de contingência e, segundo as indicações da Autoridade de Saúde Local/Unidade Local de Saúde da Guarda, a criação de uma ala Covid onde pudessem estar confinados e cuidados os casos positivos, além de outra ala destinada a casos sintomáticos que pudessem surgir, procurando evitar o contágio da doença”, lê-se.

Segundo a fonte, “de toda esta situação foi informada a Segurança Social da Guarda, a Câmara Municipal de Trancoso e respetiva Proteção Civil, recebendo das mesmas a garantia do apoio necessário a esta situação, que embora não sendo extrema, era preocupante”.

“Apesar de todos os esforços e cumprimento de todas as indicações enviadas pela Autoridade de Saúde, não conseguimos estancar o contágio tendo continuado a aparecer alguma sintomatologia que levou a Mesa Administrativa da instituição a mandar efetuar nova despistagem da covid-19”, conclui.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,8 milhões de mortos no mundo desde dezembro de 2019, incluindo 7.472 em Portugal.



Conteúdo Recomendado