Covid-19: Trabalhadores de lares recebem formação em gestão de surtos

A iniciativa abrange nos próximos meses 1.440 pessoas em todo o país.

Trabalhadores de lares vão receber formação na área da gestão de surtos, uma iniciativa que abrange quase 1.500 pessoas em todo o país e que começou já no Algarve.


De acordo com um comunicado do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS), o início do programa de formação de trabalhadores de lares em contexto de surto, no Algarve, tem a duração de 35 horas, ao longo de cinco dias.

A iniciativa abrange nos próximos meses 1.440 pessoas em todo o país, que, diz o comunicado, ficarão dotadas de “competências essenciais para atuarem em estruturas residenciais para idosos com surtos ativos de covid-19”.

O Ministério explica que o programa é uma iniciativa da Segurança Social e do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e que as formações são gratuitas e ministradas por médicos e enfermeiros especializados, nas instalações do IEFP espalhadas pelo país.

O curso tem uma componente teórica, à distância, e outra presencial, e ensina, por exemplo, como usar os equipamentos de proteção individual, proceder à limpeza e desinfeção ou fazer a gestão de circuitos, explica-se no comunicado.

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, disse, citada no documento, que se pretende “dar resposta a questões práticas, mas também esclarecer possíveis dúvidas e capacitar os trabalhadores em lares para gestão de surtos”.

E acrescenta: “A formação e capacitação de quem trabalha nestas instituições são essenciais no atual contexto, bem como o reforço de recursos humanos. Ao abrigo do programa de reforço de recursos humanos em lares (MAREESS), já foi aprovada a colocação de 12.250 pessoas nestas instituições, tendo o programa sido prorrogado até 30 de junho de 2021”.

A formação que agora começa insere-se no programa de apoio aos lares do MTSSS, no âmbito do qual já foram feitas 1.820 ações de formação pelas Forças Armadas em lares de idosos, em conjunto com a Segurança Social.

Outras formações curtas para o setor social abrangeram até agora 2.200 formandos, segundo o Ministério.

A formação com médicos e enfermeiros especializados é dada no âmbito de uma parceria do Algarve Biomedical Center (Centro Académico de Investigação e Formação Biomédica do Algarve), da Universidade do Algarve, com o Instituto Nacional de Emergência Médica, (INEM).

Podem participar nas ações de formação os trabalhadores de lares de idosos ou as pessoas que sejam selecionadas no âmbito da Medida de Apoio ao Reforço de Emergência de Equipamentos Sociais e de Saúde (MAREESS).



Conteúdo Recomendado