Covid-19: Proteção Civil da Guarda ativa plano distrital de emergência

António Fonseca adianta que, com a ativação do plano distrital de emergência, “é constituída uma subcomissão permanente para acompanhamento da situação.

A Comissão Distrital de Proteção Civil da Guarda ativou o plano de emergência distrital para “aumentar a capacidade de coordenação, controlo e articulação interinstitucional”, devido à pandemia da covid-19, foi hoje anunciado.

“Na sequência da proposta apresentada pela Comissão Distrital de Proteção Civil, Sua Excelência a Secretária de Estado da Administração Interna autorizou a ativação do Plano de Emergência do distrito da Guarda entre as 00 horas do dia 23 de março e as 24 horas do dia 03 de abril de 2020”, refere o comandante operacional do Comando Distrital de Operações de Socorro da Guarda, António Fonseca, em comunicado enviado à agência Lusa.

Segundo a nota, a ativação do plano “nas atuais circunstâncias de pandemia da Covid-19, tem como objetivo aumentar a capacidade de coordenação, controlo e articulação interinstitucional, para que se implementem, de forma eficaz, as medidas preconizadas no Decreto 2-A/2020 de 20 de março, assim como reforçar os mecanismos compensatórios que permitam anular possíveis constrangimentos na capacidade de mobilização operacional dos agentes de proteção civil e demais entidades com especiais deveres de colaboração”.

António Fonseca adianta que, com a ativação do plano distrital de emergência, “é constituída uma subcomissão permanente para acompanhamento da situação, que procede à recolha de informação para inventariação dos danos e prejuízos que são comunicados à Comissão Distrital de Proteção Civil e entidades competentes”.

O comandante do Comando Distrital de Operações de Socorro da Guarda refere ainda que o presidente da Comissão Distrital de Proteção Civil e da Câmara Municipal de Celorico da Beira, Carlos Ascensão, desempenha as funções de diretor do plano.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 345 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 15.100 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, com a Itália a ser o país do mundo com maior número de vítimas mortais, com 6.077 mortos em 63.927 casos.

Em Portugal, há 23 mortes e 2.060 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de abril.




Conteúdo Recomendado