Covid-19: Pinhel promove animação de rua para amenizar adiamento da feira medieval

O município de Pinhel vai promover no fim de semana uma atividade de animação de rua para assinalar a tradicional feira medieval que foi adiada para 2021 devido à pandemia causada pela covid-19, foi hoje anunciado.

“Sem outra alternativa senão suspender a realização da feira medieval, neste ano marcado pela declaração de situação de pandemia, o município de Pinhel vai, ainda assim, assinalar este primeiro fim de semana de junho em que, não fosse o covid, realizaria a 6.ª edição deste evento que se afirmou desde a primeira hora”, refere a autarquia em comunicado.

Segundo a nota, o município presidido por Rui Ventura “convidou os amigos ‘Ezequiel Cabeçadas e Zacarias Boaventura’ a regressarem à Cidade Falcão para partilharem a boa disposição” a que já habituaram a população “ao longo dos últimos anos”.

“Com as devidas distâncias, Ezequiel e Zacarias irão deambular pelo centro histórico, palco daquela que foi e há de voltar a ser a melhor animação medieval do primeiro fim de semana de junho por terras do Falcão, Guarda-Mor do Reino e Senhorios de Portugal”, lê-se.

A fonte acrescenta que os dois convidados “não vão ficar só pelo centro histórico, vão antes partir à conquista da cidade e, sobretudo, à conquista de sorrisos e gargalhadas junto das famílias pinhelenses”.

No cartaz alusivo ao evento “Fim de semana medieval”, é referido que Ezequiel Cabeçadas e Zacarias Boaventura visitam Pinhel no sábado e no domingo “para vistoria de tudo e todos”.

“Dê-lhes o seu parecer para a realização da feira [medieval] do próximo ano, mantendo sempre a distância de segurança”, apela o município de Pinhel, no distrito da Guarda.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 377 mil mortos e infetou mais de 6,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Portugal contabiliza pelo menos 1.436 mortos associados à covid-19 em 32.895 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado na terça-feira.

Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, que sexta-feira foi prolongado até 14 de junho, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório apenas para pessoas doentes e em vigilância ativa e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.

No sábado, regressaram as cerimónias religiosas comunitárias enquanto a abertura da época balnear acontecerá em 06 de junho.



Conteúdo Recomendado