Covid-19: Guarda lança campanha distrital para compra de ventiladores e equipamentos de proteção

A campanha que está a ser promovida junto das 240 freguesias do distrito da Guarda e da sociedade visa a angariação de fundos para a Unidade Local de Saúde da Guarda.

Delegação Distrital da Guarda da Associação Nacional de Freguesias (Anafre) está a promover uma campanha de angariação de fundos para compra de ventiladores e de equipamentos de proteção individual para a Unidade Local de Saúde.

Segundo a organização, a campanha que está a ser promovida junto das 240 freguesias do distrito da Guarda e da sociedade visa a angariação de fundos “com o intuito de garantir à Unidade Local de Saúde da Guarda (ULS) um bom apoio financeiro que permita a aquisição de ventiladores e de equipamentos de proteção individual para todos os profissionais de saúde estarem mais resguardados no desempenho da sua nobre função social e profissional”.

“Esta campanha de angariação de fundos é também uma forma de prestarmos homenagem e reconhecimento ao profissionalismo e brio de todos os profissionais que trabalham nas unidades de saúde do distrito e a quem no tempo presente tanto é exigido”, refere a Delegação Distrital da Anafre em comunicado enviado à agência Lusa.

De acordo com a nota, a campanha de angariação de fundos “Solidários com a ULS” decorre até ao final do mês de abril e os apoios financeiros podem ser creditados na conta bancária com o IBAN 50078101120112001341265.

A fonte refere que, posteriormente, a ULS e a ANAFRE/Guarda “farão a apresentação pública do resultado obtido e do equipamento adquirido” com a iniciativa solidária.

Os promotores da campanha contam “com o bom contributo das freguesias do distrito, mas também das empresas, de outras entidades e necessariamente de todos os cidadãos e cidadãs residentes no distrito da Guarda”.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 697 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 33.200.

Depois de surgir na China, em dezembro de 2019, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito no domingo pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 119 mortes, mais 19 do que na véspera (+19%), e 5.962 casos de infeções confirmadas, mais 792 casos em relação a sábado (+15,3%).

Dos infetados, 486 estão internados, 138 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.




Conteúdo Recomendado