Covid-19: Câmara da Guarda avalia passagem da Volta a Portugal em bicicleta

Segundo o autarca, está previsto que a cidade mais alta do país receba, no início de agosto, a partida de uma das etapas da prova.

– O presidente da Câmara da Guarda disse hoje estar em avaliação a passagem no concelho da Volta a Portugal em bicicleta, remetendo uma decisão para depois de dialogar com a organização da prova.

“Não iremos tomar qualquer decisão sem primeiro falar com a organização da Volta a Portugal e estou confiante que a organização será a primeira a avaliar se há ou não há condições para realizar este evento nacional”, disse hoje Carlos Chaves Monteiro à agência Lusa.

Segundo o autarca, está previsto que a cidade mais alta do país receba, no início de agosto, a partida de uma das etapas da prova.

No entanto, Carlos Chaves Monteiro não considerou oportuno “tomar já uma decisão”, sublinhando: “Não temos elementos para decidir neste momento por uma via. Tomaremos a decisão adequada no momento certo”.

No domingo, o município de Viana do Castelo anunciou a interdição da passagem da Volta a Portugal no concelho por considerar que “não pode dar sinais contraditórios” à sociedade, “face ao desconhecimento da evolução” da pandemia de covid-19.

No caso da Guarda, o presidente do município deixou a decisão para mais tarde: “Nós não vamos tão longe já, porque, [de acordo] com a situação que a pandemia apresentar nos períodos próximos, fazemos também a nossa avaliação”.

Carlos Monteiro disse ainda que a autarquia sempre se pautou pela “defesa intransigente” da saúde e proteção dos cidadãos residentes e de todos aqueles que se desloquem ao território.

Por isso, assegurou que a autarquia vai tomar uma decisão sobre a Volta a Portugal, consoante a avaliação que for feita “num determinado momento” pela organização da prova.

Na sexta-feira, fonte oficial da Direção-Geral da Saúde (DGS) disse à agência Lusa que a Volta a Portugal em bicicleta vai decorrer entre 29 de julho e 09 de agosto, assegurando o distanciamento social e sem concentrações com mais de 20 pessoas.

Em resposta por escrito, a DGS afirmou que, “de acordo com plano apresentado” pela Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC), está previsto que “a prova decorra de 29 de julho a 09 de agosto”.

“Os atletas serão monitorizados pela equipa médica do clube por forma a garantir a deteção precoce de qualquer sintoma sugestivo de covid-19. Caso existam suspeitos de covid-19 serão aplicados os procedimentos estabelecidos em Portugal, não podendo participar na prova. Será realizado um teste antes do início da competição”, explicou a DGS.

Na segunda-feira, em resposta à FPC, o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, afirmou que, com o plano sanitário apresentado e mediante a resolução do Conselho de Ministros que permite competições individuais ao ar livre desde 01 de junho, “estão reunidas as condições para a sua realização nos termos propostos”.

“No caso da Volta a Portugal em bicicleta, esta competição foi alvo de uma avaliação concreta por parte da DGS, quanto às medidas de mitigação a serem implementadas com vista à redução do risco de contágio da covid-19, que foram propostas pela FPC”, lê-se na referida carta.



Conteúdo Recomendado