Covid-19: Área da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco com 340 casos ativos

A situação na região, apesar de estar em “crescendo não é alarmante”, adiantando que as camas disponíveis no Hospital Amato Lusitano (HAL), em Castelo Branco, “são suficientes”.

Na área de intervenção da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco (ULSCB) há, atualmente, 340 casos com resultado positivo de infeção pelo novo coronavírus, dois óbitos e cinco internados, foi hoje anunciado.

“Vivemos uma fase em que a pandemia [de covid-19] na área de Castelo Branco e da ULSCB” está a aumentar e vai manter-se “em crescendo”, disse a diretora clínica da ULSCB, Eugénia André.

A responsável, que falava durante uma conferência de imprensa de balanço da situação da pandemia de covid-19 na área desta Unidade Local de Saúde, adiantou que todos os casos registados “vieram de fora para dentro”, isto é, nenhum ocorreu dentro das instituições.

Na área da ULSCB – concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova, Sertã, Vila de Rei e Vila Velha de Ródão – existe um total de 340 casos com resultado positivo de infeção pelo novo coronavírus, 216 dos quais em Castelo Branco, 107 em Idanha-a-Nova, nove em Vila Velha de Ródão e oito em Penamacor.

Eugénia André referiu que a situação na região, apesar de estar em “crescendo não é alarmante”, adiantando que as camas disponíveis no Hospital Amato Lusitano (HAL), em Castelo Branco, “são suficientes”.

“Estamos confortavelmente a dizer isso. Temos cinco internados (do total de 10 camas disponíveis) e dois em unidade de hospitalização domiciliária. Mas, podemos chegar às 16 ou 20 camas. Não estamos com nenhuma situação de stress em relação à nossa área” de intervenção, assegurou.

A diretora clínica da ULSCB afirmou ainda que estão a ser ultrapassados “os 450 testes diários” na área abrangida pela Unidade.

A quantidade de testes faz com que não haja surtos maiores. “Nesse sentido, temos conseguido esse objetivo, porque mesmo nos lares, foram rapidamente detetados os casos positivos”, sublinhou.

É preciso “testar rapidamente para conter os surtos dentro e fora das instituições. Penso que temos estado a responder corretamente”, concluiu.

O presidente da Câmara de Castelo Branco e provedor da Misericórdia local, José Augusto Alves, que também participou na reunião, informou que atualmente no Centro Comunitário João Carlos Abrunhosa, em Castelo Branco, existem 12 utentes e 12 funcionários que testaram positivo para o novo coronavírus, num universo de 62 funcionários e 69 utentes.

“Todos os utentes e colaboradores estão assintomáticos”, indicou.

Portugal contabiliza pelo menos 2.395 mortos associados à covid-19 em 128.392 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).



Conteúdo Recomendado