Cidade da Guarda vai ter Centro Nacional de Segurança Rodoviária

Eduardo Cabrita admitiu que gostaria de ter o comando da UEPS instalado na cidade mais alta do país “até à próxima primavera”.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, disse que “até ao início do próximo ano” deve ficar concluído o processo de instalação de um Centro Nacional de Segurança Rodoviária na cidade da Guarda.

No dia 27 de novembro de 2018, nas comemorações do Dia da Cidade, o ministro da Administração Interna anunciou a instalação, na Guarda, do Centro Nacional de Educação Rodoviária.

Posteriormente, há cerca de um ano, foi celebrado um protocolo, entre o Instituto Politécnico local e a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), para realização de um estudo para identificar as boas práticas europeias em matéria de segurança rodoviária e para propor a localização do equipamento.

“O presidente da ANSR estará na cidade da Guarda, na próxima semana, no Politécnico, para fazer os contactos necessários para a concretização, até ao início do próximo ano, desse Centro Nacional de Segurança Rodoviária”, disse o governante aos jornalistas, no final de uma reunião com o presidente da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, onde foi feito o ponto de situação da localização de estruturas do Ministério da Administração Interna naquela cidade.

Eduardo Cabrita também reafirmou que o comando da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro (UEPS) da GNR – com cerca de 1.200 efetivos, que será comandada, no futuro, por um oficial general -,”terá a sua estrutura de comando nacional” na Guarda.

Segundo o ministro, o Governo está a tratar de questões operacionais relacionadas com as instalações de uma estrutura que terá, numa fase inicial, “cerca de uma centena de militares”, mas que poderá evoluir até aos duzentos.

Eduardo Cabrita admitiu que gostaria de ter o comando da UEPS instalado na cidade mais alta do país “até à próxima primavera”.

A unidade poderá ocupar as instalações das antigas Infraestruturas de Portugal, uma situação que está a ser analisada em conjunto com a autarquia.

O ministro disse ainda que no encontro com o presidente do município da Guarda também foi abordada a questão das futuras instalações dos comandos da GNR e da PSP.

“Estamos a analisar de forma muito construtiva uma proposta de reorganização da localização dos comandos das forças de segurança [da] GNR e PSP aqui no centro da cidade, no antigo quartel, melhorando as suas condições de operacionalidade, que hoje têm problemas”, afirmou.

Segundo Eduardo Cabrita, a GNR e a PSP “são forças com vocações próprias, com autonomia operacional” e “não está em causa nenhum caminho visando sequer, no futuro, uma fusão das duas forças”.

“Está em causa partilhar aquilo que são estruturas de apoio, estruturas de apoio logístico”, esclareceu.

O presidente da Câmara Municipal da Guarda disse que a reunião de trabalho com o ministro da Administração Interna foi “muito positiva, dada a consensualidade de pontos de vista” em projetos com importância nacional e para o território.

“Foi uma reunião de trabalho profícua” por permitir concretizar vários projetos “no mais curto espaço de tempo” e dar melhores condições aos agentes da PSP e aos soldados da GNR, resumiu Carlos Chaves Monteiro.



Conteúdo Recomendado