Carlos Condesso é candidato à distrital do PSD da Guarda

O autarca social-democrata Carlos Condesso, vereador da oposição no município de Figueira de Castelo Rodrigo, anunciou hoje a sua candidatura a presidente da Distrital do PSD da Guarda, cujas eleições se realizam em 11 de julho.

Em nota de imprensa enviada à agência Lusa, o também chefe de gabinete do presidente da Câmara da Guarda e atual vice-presidente da distrital do PSD, diz ter tomado a decisão de se candidatar “após auscultar dezenas de militantes e diversas pessoas dos mais variados setores de atividade do distrito”, assumindo-se “preparado” para um desafio que define como mais uma “importante missão”.

Com quase 20 anos de militância ativa, período em que exerceu vários cargos no partido, maioritariamente na Guarda, mas também como conselheiro nacional do PSD, Carlos Condesso assinala essa “experiência”, o conhecimento que tem do território distrital, a “forte relação” que o une “à grande maioria dos militantes do distrito” e a “proximidade” às 14 comissões concelhias, como mote para a decisão de se candidatar.

O candidato a líder distrital apresentou como vice-presidentes da sua lista “dois autarcas de referência”, Rui Ventura e Carlos Ascensão, presidentes dos municípios de Pinhel e Celorico da Beira, respetivamente.

Já o deputado e atual líder distrital, Carlos Peixoto, será candidato a presidente da Mesa da Assembleia Distrital do PSD da Guarda.

No comunicado, Carlos Condesso frisa que a sua candidatura “é e será sempre construtiva, abrangente e, acima de tudo, mobilizadora, onde a união e a convergência entre todos imperem, por forma” a vencerem juntos os “desafios do futuro” e darem um “contributo importante para a credibilização da política”.

O candidato a líder do PSD da Guarda manifesta ainda a intenção, caso seja eleito, de “abrir o partido à sociedade civil” e “descentralizar as reuniões da distrital pelas 14 secções, dando voz a todos os militantes, chamando-os a participar nas decisões mais importantes”.

Pretende ainda “reforçar a articulação das políticas a implementar com as diversas estruturas distritais”, concretamente com a JSD, trabalhadores e autarcas sociais-democratas, e “preparar com seriedade e sensibilidade política” os próximos atos eleitorais, “com redobrada atenção para as autárquicas de 2021”.

No próximo ato eleitoral autárquico, Carlos Condesso quer “garantir uma seleção de candidatos autárquicos fortes, bem preparados e determinados em vencer”, com o objetivo de o PSD “conquistar o maior número de Câmaras Municipais e de Juntas de Freguesia, reforçando o peso político, justo e merecido” no distrito da Guarda.



Conteúdo Recomendado