Câmara de Trancoso apela às pessoas que estão fora que fiquem na residência habitual

O município lembra que se “impõe a adoção de medidas de prevenção, contenção e mitigação, como forma de controlo da sua propagação”.

A Câmara de Trancoso aconselha as pessoas que trabalhem noutros pontos do país ou no estrangeiro que, se possível, se mantenham na sua residência habitual, nas próximas semanas, porque a mobilidade geográfica é um foco de propagação do Covid-19.

“No entanto, para aqueles que, por motivos de força maior, tenham de regressar ou já regressaram (desde 01 de março) ao nosso concelho, provenientes dos mais diversos países (França, Espanha, Itália Suíça, Alemanha, Bélgica, etc.) e regiões, solicita-se que se abstenham de contactos sociais, tenham uma atenção redobrada aos principais sintomas (tosse seca, febre, dificuldade respiratória, dores musculares, dor de cabeça), mantendo-se em suas casas, cumprindo o período mínimo de quarentena”, refere a autarquia em comunicado publicado na página da rede social Facebook.

O município de Trancoso, no distrito da Guarda, lembra na nota que “no presente contexto nacional e internacional de emergência de saúde pública e classificação do vírus Covid-19 como uma pandemia” e tendo já sido declarado o Estado de Emergência em Portugal, “impõe-se a adoção de medidas de prevenção, contenção e mitigação, como forma de controlo da sua propagação”.



Conteúdo Recomendado