Bruxelas aposta na agricultura inteligente para mitigar alterações climáticas

Perante o crescente consumo de produtos alimentares e a necessidade de redução das emissões de gases a efeito de estufa, a Comissão Europeia (CE) está a investir na inovação tecnológica, para chegar a estes dois objetivos.

Com o programa “Horizonte 2020″, Bruxelas conta com um orçamento de 3,6 mil milhões de euros, para o período de 2014-2020, e praticamente duplicou os montantes do último quadro comunitário.

A agricultura inteligente ligada a problemas climatéricos é o ponto mais importante, sendo esperados 3000 projetos para serem financiados por este fundo.

Cerca de 64 milhões de euros serão destinados ao desenvolvimento da agricultura de precisão e cerca de 30 milhões irão para o programa “Things Large Scale Pilot” ou “Smart Farming and Food Security”.

Recorde-se que um dos instrumentos tecnológicos que mais tem evoluído nos últimos tempos são os drones para a agricultura.

Atualmente conseguem transmitir informação sobre o estado das culturas, que permite controlar eficientemente as regas e as adubações, conseguindo maiores produções com menos custos, não só efetivos, como também ambientais.

A tecnologia já evoluiu tanto, que permite detetar variações anormais de temperatura numa exploração pecuária em extensivo e, assim, dar indicações muito importantes aos agricultores.




Conteúdo Recomendado