BE defende manutenção da maternidade na Guarda

A Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda (BE) da Guarda defende hoje a manutenção da maternidade local.

O BE alerta que com a aplicação da Portaria n.º 82/2014, de 10 de abril, que vai alterar a organização da rede hospitalar em Portugal, a Unidade Local de Saúde da Guarda, que gere o Hospital Sousa Martins, “será classificada como Grupo I, ou seja, o grupo mais baixo desta classificação”. “A ser verdade esta reorganização, a maternidade da Guarda será encerrada até ao final de 2015, sendo que as populações do distrito para terem acesso a um serviço de Obstetrícia terão que percorrer muitos quilómetros, uma vez que as unidades hospitalares mais próximas a que as grávidas poderão recorrer para os partos serão o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e o Centro Hospitalar Tondela-Viseu”, denuncia. O BE/Guarda considera que este “é um novo ataque do Governo ao Serviço Nacional de Saúde” e manifesta “a sua firme oposição a esta medida que terá como consequência piorar os serviços de saúde prestados” às populações.




Conteúdo Recomendado