BCE avança para compra de dívida de 60 mil milhões de euros por mês

Compras das obrigações dos Estados membros serão feitas de acordo com o peso de cada país no capital do BCE e 80% do risco será assumido pelos bancos centrais nacionais.

Mario Draghi não desiludiu os mercados e anunciou esta quinta-feira o lançamento de um programa agressivo de compra de dívida pública na zona euro. O objetivo é combater os riscos crescentes de deflação.

O Banco Central Europeu (BCE) vai realizar, a partir do próximo dia 1 de março, compras de  ativos do setor público e privado num montante total de 60 mil milhões de euros por mês. O programa, revelou o presidente da autoridade monetária, irá durar pelo menos até setembro de 2016, podendo continuar em funcionamento até que se produza um ajustamento do ritmo da inflação “consistente com o objetivo de uma variação de preços abaixo mas próxima de 2%”.

Atualmente, o BCE já realiza compras de activos do sector privado. A novidade é o início da compra de títulos de dívida pública. Mario Draghi explicou que as obrigações compradas serão aquelas que tenham um rating acima do nível “lixo”. Haverá outros critérios de elegibilidade para os países em grau lixo, mas sob um programa da troika. As compras serão feitas de acordo com a quota de cada país no capital do BCE.

Naquilo que é visto como uma cedência à Alemanha, em 80% das compras de activos, a maior parte dos riscos será assumida pelos bancos centrais nacionais.




Conteúdo Recomendado