Associação de Agricultores pede investimento em regadio

Esta e outras medidas são vistas pelo organismo albicastrense como necessárias para combater os efeitos do prolongamento da seca que assola o país.

A Associação Distrital dos Agricultores de Castelo Branco (ADACB) defende a necessidade de investir em projetos de regadio na região. Esta é uma das soluções avançadas pelo organismo filiado na Confederação Nacional de Agricultura (CNA) para fazer face a situações de seca como aquela que se verifica atualmente. “É necessário passar das promessas à prática, avançar rapidamente com as obras dos Regadio a sul da Gardunha e concluir o regadio da Cova da Beira, nomeadamente levar a água à zona da Gramenesa [Fundão]”, salienta o organismo, em comunicado.

De acordo com os números apresentados pelos agricultores, a região está a ser afetada por uma das piores secas desde o ano 2000 e, em julho, o País estava com cerca de 80 por cento da sua área em situação de seca severa e extrema. Em resultado disto, “escasseia a alimentação animal nas pastagens, aumentam os custos com outros tipos de alimentação animal, a vinha e os pomares (não regados) não se desenvolvem bem”, descreve a ADACB, lembrando que a “floresta e os matos estão ressequidos e vítimas dos inúmeros incêndios florestais”.

Ao Governo, a Associação Distrital dos Agricultores pede apoios financeiros a fundo perdido; mais rápida antecipação e flexibilização das ajudas da PAC e das ajudas que exigem comparticipação do Orçamento de Estado; isenção temporária da Taxa de Recursos Hídricos; ajuda à Eletricidade Verde; isenção temporária do pagamento das contribuições para a Segurança Social; medidas de apoio de incidência fiscal; e linhas especiais de crédito de longo prazo.



Conteúdo Recomendado