Antiga cooperativa de fruta de Valhelhas ganha nova vida

O grupo Manteivias vai ocupar uma significativa parte do imóvel com duas das suas empresas: a Manteivias (construção e obras públicas) e a Star Modular (construção e comercialização de casas modulares).

A substituição do velho telhado de amianto, a retirada de várias toneladas de entulho e a pintura das fachadas exteriores são alguns dos trabalhos já concluídos no projeto de requalificação da antiga Cooperativa de Produtores de Fruta em Valhelhas, no concelho da Guarda, adquirida recentemente pelo grupo Manteivias.

Nos anos 70 e 80, a estrutura foi muito importante para o armazenamento de fruta — nomeadamente maçã, pêra e pêssego — que se produzia em grandes quantidades no vale do Zêzere. Contudo, a partir dos anos 90 muitos empresários agrícolas arrancaram centenas e centenas de hectares de pomares (a reboque dos incentivos europeus). O imóvel perdeu a sua função e, aos poucos, foi sendo abandonado. Acabou nas mãos do Millennium BCP, que nos últimos anos o colocou à venda. Algumas abordagens de diferentes empresários nunca chegaram a bom porto, sendo agora a Manteivias a efetivar o interesse e a compra, transformando o espaço no seu novo centro de operações e dando-lhe uma nova vida.

“Trata-se de uma estrutura que corresponde às nossas necessidades, não só devido à dimensão de todo o espaço edificado, mas também da zona envolvente. Para além disso, tem uma excelente localização, no centro da Beira Interior, a 15 minutos da A23”, explica, ao JF, o administrador da Manteivias, Pedro Almeida.

A instalação de oficinas de montagem e manutenção, a renovação de paredes, janelas, instalação elétrica e canalização e a construção de novas casas-de-banho, vestuários, escritórios, cantina, muros de vedação e diversos armazéns são trabalhos que decorrem neste momento. “A nossa ideia é termos tudo pronto no início de 2021”, revela o empresário, esclarecendo que, no final de todo o projeto, o investimento ultrapassará o milhão de euros.

Um polo empresarial

O grupo Manteivias vai ocupar uma significativa parte do imóvel com duas das suas empresas: a Manteivias (construção e obras públicas) e a Star Modular (construção e comercialização de casas modulares).

Contudo, o imóvel tinha 12 câmaras frigoríficas, agora transformadas em armazéns. Oito deles (cada um com 300 m2) vão estar disponíveis para outros empresários que ali pretendam instalar-se. “Isto vai ser uma espécie de polo empresarial. Há dois armazéns que já estão destinados a duas empresas. Neste momento, estamos em conversações com um grupo francês de cofragens e andaimes, que também quer começar a operar em Portugal”, revela Pedro Almeida, sublinhando que o projeto vai criar emprego: “Da nossa parte prevemos empregar entre 15 a 20 pessoas e algumas já cá estão a trabalhar. Com as empresas externas que possam vir, o número ultrapassará largamente as 30.”



Conteúdo Recomendado