44º aniversário da Revolução dos Cravos celebrada em Celorico da Beira

O Município de Celorico da Beira vai comemorar o Dia da Liberdade com o intuito de dar testemunho às gerações do pós Revolução, a importância incomensurável desta ação militar que veio pôr fim às amarras opressivas do regime fascista e ao obscurantismo.

Segundo a autarquia, “o programa dos festejos conta com muitas e diversificadas atividades que começam com o hastear da bandeira, às 10h30, nos Paços do Concelho.” Seguidamente, como é habitual, o cortejo seguirá em romagem à estátua do soldado de abril, no Jardim de Santa Eufémia, a fim de prestar tributo aos heróis da revolução. Ainda durante a manhã terão lugar, no Centro Cultural, uma palestra alusiva à revolução de Abril de 1974 proferida pelo Exmo General Ferreira do Amaral e, será inaugurada uma exposição de fotografia intitulada “Parece que foi ontem: oito olhares, duas gerações, a qual integra obras de reputados fotógrafos, tais como Alfredo Cunha (natural de Celorico da Beira) e Inácio Ludgero, entre outros.

Ao início da tarde, no Centro de Dia de Galisteu, decorrerá uma cerimónia de homenagem ao filho da terra que integrou o corpo expedicionário português na I Grande Guerra., de tão má memória para Portugal, onde milhares de soldados portugueses perderam a vida, em especial, na batalha de La Lys como evocou o Presidente da República, Prof Marcelo Rebelo de Sousa, nas comemorações do centenário da referida batalha, em França,

A população mais jovem e, principalmente, os amantes dos desportos radicais terão a oportunidade de apreciar e/ou praticar rapel e escalada em torre, no Jardim de Santa Eufémia, nos dias 24 e 25 de abril, com a colaboração do Regimento de Infantaria nº 14 de Viseu.

“Comemorar Abril é também revisitar poesias e canções emblemáticas que fizeram a revolução. Neste sentido, os Feiticeiros de Horus e os seus convidados têm encontro marcado com os celoricenses, à noite, pelas 21h30, no Centro Cultural, para encerrar as comemorações deste ano do Dia da Liberdade/Dia da Revolução dos Cravos”, acresecenta.




Conteúdo Recomendado