14 utentes e 4 funcionários do lar do Manigoto estão infetados com Covid-19

Os 14 utentes do lar do Manigoto no concelho de Pinhel estão todos infetados com o novo coronavírus. A Segurança social admite já enviar uma brigada de apoio porque metade das funcionárias também testaram positivo.

Depois do Lar Nossa Senhora Veiga, em Vila Nova de Foz Côa, a Casa Social do Manigoto é, desde o arranque da pandemia, o segundo caso mais grave de infeções em lares no distrito da Guarda. Os 14 idosos estão infetados bem como quatro das oito funcionárias, incluindo a diretora técnica.

Dos 14 utentes que testaram positivo, 12 mantêm-se na instituição assintomáticos e dois, com mais de 90 anos, foram internados no hospital Sousa Martins. A segurança social vai acionar uma brigada de apoio

Nas próximas horas segue-se a testagem dos contactos comunitários dos infetados, nomeadamente das funcionárias que prestavam apoio domiciliário na freguesia. Pinhel tem 70 dos 200 casos ativos do distrito da Guarda.

Em entrevista à SIC Notícias, o Presidente da Câmara Municipal de Pinhel, Rui Ventura, reconhece que «é uma situação preocupante», mas aconselha a que as pessoas continuem a proteger-se e a manter a calma.

Além do lar do Manigoto, foi identificado nas últimas horas um outro caso positivo numa instituição do género em Celorico da Beira.

Em Almeida mais dois alunos do agrupamento de escolas estão infetados e os 21 de Gonçalo que foram impedidos na sexta-feira passada de frequentar aulas em Belmonte já foram testados, deram negativo e já podem retomar o ano letivo.



Conteúdo Recomendado