Sede da CIM BSE: autarcas têm que decidir novamente

Após as eleições autárquicas deste ano, serão os presidentes eleitos a tomar decisões e entre elas está o local da sede da Comunidade.

A presidência rotativa da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (entre Covilhã e Fundão) e a localização da sede da CIM na Guarda foram elementos “negociados” pelos autarcas que integram aquela unidade no início do mandato. O presidente admite que foram soluções de recurso encontradas para obter o maior consenso possível.
Após as eleições autárquicas deste ano, serão os presidentes eleitos a tomar decisões e entre elas está o local da sede da Comunidade.

“Cabe aos novos órgãos que sairão das próximas eleições decidir se há a continuação do atual quadro ou se há outra posição. Isto é uma decisão formal, aqui não há posições de opinião. Foi o deliberado”, frisa.
Depois de ter sido solicitado ao presidente da câmara municipal da Guarda que diligenciasse para encontrar uma nova sede, dado que a atual não respondem às necessidades da CIM, Álvaro Amaro apresentou a hipótese do edifício dos antigos Paços do Concelho

“O presidente da câmara da Guarda tem procurado soluções, uma parte até ligada à administração central que, no meu entender, não foi diligente porque já houve soluções para termos uma sede com maior espaço. Há cerca de nove meses apresentou (Álvaro Amaro) uma proposta da possibilidade de um edifício notável para funcionar como sede”, explica.
O presidente da câmara municipal do Fundão afirma ser legítimo ao município da Guarda ter expectativas que a sede continue naquela cidade.

“Não somos inocentes. O investimento tem um valor avultado que acredito que haja essa ambição, mas este objetivo tem que ser reequacionado pelos presidentes eleitos dos municípios que integram a CIM das Beiras e Serra da Estrela”, esclarece.



Artigos Relacionados / Pub