TeatrUBI lança crowdfunding para ciclo de teatro universitário

O 21.º Ciclo de Teatro Universitário da Covilhã, o mais antigo do país, decorre de 14 a 27 de março.

O evento – que este ano conta com 14 produções nacionais e internacionais – tem tido alguns apoios cortados e o TeatrUBI espera angariar, com esta iniciativa, 1000 euros de financiamento extra até 13 de março.

“A ideia surgiu, porque um dos graves problemas de organizar eventos no Interior e a nível universitário é a falta de financiamento. No fundo, o que se está a tentar conseguir é algum financiamento extra”, explica o diretor do TeatrUBI – Grupo de Teatro da UBI. Rui Pires revela que “não está fácil, mas vamos manter a esperança de que até final da campanha vamos conseguir chegar ao valor que pretendemos”.

Organizado pelo TeatrUBI e pela ASTA – Teatro e Outras Artes, o evento tem um orçamento global superior a 31 mil euros. O objetivo é que a campanha de crowdfunding, iniciada a 31 de janeiro e a decorrer até 13 de Março, atinja os 1000 euros.

“Quem quiser contribuir pode aceder ao site e lá encontra as várias maneiras de apoiar e colaborar. Quem apoia tem várias regalias, como bilhetes ou material promocional do festival. Quem quiser também pode apoiar anonimamente e até pode contribuir só com um euro, apesar das tais regalias se verificarem a partir dos dois euros de contribuição”, refere Rui Pires.

“Mais uma vez conseguimos fazer este festival contra todas as vicissitudes que é fazer cultura no Interior. Os apoios são cada vez mais reduzidos. Este ano já nem temos o apoio do Inatel porque a política da fundação mudou, mas mantemos os apoios do IPDJ e da fundação Calouste Gulbenkian, que é quem apoia o teatro universitário em Portugal. Por parte da Câmara da Covilhã fui informado telefonicamente pelo vereador da Cultura que a autarquia vai apoiar financeiramente o festival de acordo com o montante que na altura estiver disponível. Esperemos que ele chegue a tempo de pagar algumas contas, como a do alojamento e alimentação dos grupos, e esperamos que este ano a câmara decida ligar o aquecimento do teatro para não haver constipações e pneumonias como aconteceu a alguns grupos que estiveram cá o ano passado”, alerta o diretor do TeatrUBI.

Sendo o mais antigo do país, o Ciclo de Teatro Universitário da Covilhã é já uma referência no panorama nacional e internacional nos festivais de teatro universitário. Realizado anual e ininterruptamente há 21 anos, a 21.ª edição do evento conta este ano – de 14 a 27 de março – com 14 produções de grupos portugueses, espanhóis e um do Brasil. A novidade é a presença, pela primeira vez, de um grupo proveniente da Roménia.

“Esta aposta na internacionalização também engrandece o festival”, sublinha Rui Pires, que lembra a importância de trazer grupos de fora, nomeadamente do Brasil. “Faz todo o sentido, até porque a UBI tem cada vez mais alunos brasileiros e é bom podermos também trazer-lhes um pouco da sua cultura. É uma forma de eles se identificarem com o festival e com a própria universidade”. A aposta da UBI na internacionalização também tem sido positiva para o TeatrUBI. “No ano passado tínhamos sete alunos brasileiros e outros alunos provenientes de vários países europeus, este ano temos um angolano e outro de S. Tomé e Príncipe”, refere aquele responsável.

Este ano o evento fica ainda marcado pela estreia de “Different Pulses”, a nova co-produção do TeatrUBI e da ASTA. Trata-se de um espetáculo baseado em textos de William Shakespeare e que vai ter algumas partes interpretadas em inglês. Rui Pires explica que “é um espetáculo que começou a ser preparado em Outubro com quatro alunos da UBI. Pela primeira vez vais ser falado em português e em inglês tendo como objetivo quebrar a barreira da língua uma vez que nós temos feito muito mais espetáculos no estrangeiro do que em Portugal”, lembra.



Artigos Relacionados / Pub