Projeto social de arrendamento da Guarda já entregou 90% das habitações

A Câmara Municipal da Guarda anunciou hoje que 90% das 23 habitações locais do Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana disponibilizadas este ano no mercado social de arrendamento já estão entregues aos novos inquilinos.

“Na sequência da sessão realizada no passado mês de julho, na Guarda, onde se anunciou o início do processo de arrendamento do Empreendimento Monte Miranda, propriedade do Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU), IP, 90% das habitações já estão arrendadas e muito possivelmente as restantes poderão vir a sê-lo até ao final do ano”, refere a autarquia em comunicado.

Segundo a fonte, as habitações projetadas pelo arquiteto Siza Vieira foram colocadas no mercado social de arrendamento com rendas que variavam entre os 175 e os 250 euros.

O conjunto habitacional localizado no Bairro do Pinheiro, na cidade da Guarda, é constituído por 23 habitações de tipologia T1 (cinco), T2 (dez) e T3 (oito).

O Empreendimento Monte Miranda foi adquirido pelo IHRU, em meados de 2013, “depois de um longo e complexo processo, do qual resultou a declaração de insolvência da Cooperativa Casa Jovem, promotora da obra, em que as habitações estiveram prontas e fechadas durante quase cinco anos”, recorda o município da Guarda.

“Depois de obtida a licença de utilização, em dezembro de 2014, o IHRU realizou as obras necessárias à adequação das habitações aos fins a que se destinam, no seu interior e exterior”, tendo o valor dos trabalhos rondado os 80.000 euros, indica a fonte.

O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro (PSD/CDS-PP), citado na nota de imprensa, mostra-se “satisfeito com a celeridade” que o processo de arrendamento tomou, considerando que contribuiu “para a melhoria genérica das condições de vida e habitabilidade de mais de duas dezenas de famílias guardenses”.

De acordo com as entidades promotoras do processo, as 23 habitações foram disponibilizadas no mercado social de arrendamento para “dar resposta às necessidades de habitação das famílias que não encontram resposta no mercado livre de arrendamento”.



Conteúdo Recomendado