Porta Voz da Proteção Civil refere que “as pessoas não podem ficar à espera dos Bombeiros”

Patrícia Gaspar, porta voz da Autoridade Nacional de Protecção Civil, fez esta manhã o balanço dos incêndios que estão a assolar o país, e revelou ainda que as autoridades registaram até ao momento 27 mortos e 51 feridos, 15 em estado grave.

“Temos neste momento a registar 27 vítimas mortais nos distritos da Guarda, Coimbra e Castelo Branco”, revela Patrícia Gaspar. Os números são ainda provisórios.

Questionada pelos jornalistas, a responsável lembra que “as pessoas não podem ficar à espera dos bombeiros”, e que o “número de ocorrências de ontem (mais de 500), é impossível de controlar por qualquer sistema de protecção em qualquer parte do mundo”.

Neste momento há 162 incêndios activos, que mobilizam mais de 4000 homens e 1200 meios terrestres.

As vítimas mortais foram encontradas “na via pública, em barracões e em acidentes de viação”. 10 no distrito de Coimbra, 16 em Viseu, e um em Castelo Branco.

No briefing desta manhã, a responsável revelou ainda: “Batemos todos os recordes e hoje, desde a meia-noite, registámos já um total de 110 ocorrências de incêndios florestais. A esta hora estão em curso 145 incêndios, com 4127 operacionais no combate”.

O número de emergência para informações é o 800 246 246.

A Polícia de Segurança Pública publicou uma lista com procedimentos de segurança que devemos adotar em caso de incêndio.

LIGUE 112, contacte de imediato os Bombeiros e as Forças de Segurança (PSP ou GNR);

Tome em atenção a proteção da sua habitação, no caso do incêndio se desenvolver nas proximidades;

Retire os cortinados inflamáveis e feche todas as persianas, ou coberturas, de janelas não combustíveis;

Remova materiais combustíveis do interior e das imediações da sua casa;

Desligue a luz e o gás. Esta é uma regra de segurança fundamental para evitar uma explosão;

Ponha os objetos que não sejam danificados pela água no interior de piscinas ou de tanques, mas não perca tempo a recolher objetos pessoais desnecessários. Em primeiro lugar está a vida humana, os bens pessoais são substituíveis;

Molhe de forma abundante as paredes e os arbustos que rodeiam a casa. Deste modo, irá arrefecer a casa.Se estiver próximo do incêndio e não correr perigo tente extingui-lo com pás, enxadas ou ramos;

As piscinas, os tanques ou locais ou com pouca vegetação, são zonas potencialmente mais seguras;

Caso as autoridades aconselhem a sua evacuação, obedeça rapidamente mas com calma.

Dirija-se sempre na direção contrária à do vento, para evitar ficar cercado pelo fogo;

Respire através de roupa molhada, desta forma, evita a inalação de fumo e possível intoxicação.

Esteja preparado para evacuar todos os membros da sua família, não se esqueça do grupo de pessoas mais vulneráveis: crianças, idosos e deficientes;

Caso não seja possível por a salvo os seus animais atempadamente, solte-os, terão assim maior hipótese de fugir;

Depois da evacuação, jamais volte atrás até ordem em contrário.




Conteúdo Recomendado