Ouro espanhol para queijo de cabra do Mileu

Fábrica Lacticínios Progresso do Mileu, da Guarda, premiada com «Cincho de Oro» O queijo de cabra amanteigado Quinta do Pontão, produzido pela Fábrica Lacticínios Progresso do Mileu, com sede na Póvoa do Mileu, na Guarda, foi distinguido com o Prémio «Cincho de Oro», num concurso realizado recentemente em Valladolid, Espanha. No “I Concurso Internacional e […]

Fábrica Lacticínios Progresso do Mileu, da Guarda, premiada com «Cincho de Oro»

O queijo de cabra amanteigado Quinta do Pontão, produzido pela Fábrica Lacticínios Progresso do Mileu, com sede na Póvoa do Mileu, na Guarda, foi distinguido com o Prémio «Cincho de Oro», num concurso realizado recentemente em Valladolid, Espanha. No “I Concurso Internacional e VII Concurso Nacional de Queijo” realizado pela Junta de Castilla y León e pelo Instituto Tecnológico Agrário de Castilla y León, foram atribuídos os prémios «Cincho», num evento onde estiveram a concurso mais de 600 queijos, de países como Espanha, França, Itália, Inglaterra e Portugal.
 
Micaela Rodrigues, responsável pelo controlo de qualidade na empresa, disse ao Jornal A Guarda que a atribuição do prémio “prova que realmente estamos no cimo em termos de qualidade” dos queijos produzidos na empresa da Guarda, que existe desde 1947. “Podemos dizer de boca cheia, a nível internacional, que temos bons produtos”, disse a responsável, admitindo que a atribuição do Prémio «Cincho de Oro» ao “Quinta do Pontão” acabou por ser “uma surpresa”. “Dentro da variedade e das amostras que participaram num concurso destes, onde estão países como a França e Espanha, com forte tradição no sector, nunca pensámos que tivéssemos um prémio de ouro, tendo o de prata sido entregue a um espanhol”, disse.
 
Micaela Rodrigues referiu que a distinção é mais um motivo para que a empresa da Póvoa do Mileu mantenha “a aposta na qualidade e no desenvolvimento de novos produtos”. “A empresa tem apostado muito na investigação. Este queijo de cabra que ganhou o prémio é o nosso menino, é o nosso bebé, é o produto mais recente, que está a ser produzido aqui na fábrica há cerca de dois anos”, contou, salientando que a investigação está a ser realizada com o apoio do Instituto Superior de Agronomia. A responsável lamentou que os produtos nacionais “só sejam premiados no estrangeiro” e considerou que a atribuição deste galardão irá contribuir para aumentar a visibilidade dos produtos da empresa no mercado internacional.
 
Já o gerente da Lacticínios do Mileu, Miguel Proença, disse ao Jornal A Guarda que sente alguma “desilusão” pelo facto de “termos sido premiados, pela primeira vez, pelos espanhóis”. “É um grande orgulho o nosso queijo ser reconhecido em Espanha, mas causa-nos estranheza que não o seja em Portugal. É um paradoxo difícil de explicar”, acrescentou. Miguel Proença também referiu que o galardão obtido no País vizinho “vem reconhecer a qualidade do nosso produto.
 
É a demonstração que os empresários portugueses não devem ter medo da concorrência estrangeira, porque muitas vezes, em Portugal dá-se muito valor ao que vem de fora e este prémio confirma que o produto nacional tem mais valor que o estrangeiro”. Acrescentou que “após a atribuição do «Cincho de Oro» vários empresários já demonstraram interesse em comercializar os nossos artigos no lado de lá [em Espanha]”.



Conteúdo Recomendado