Nerga empenhado em “Dar à luz”

Associação Empresarial da Guarda promove na região iniciativa nacional que envolve a Philips e a Plataforma Carbonnus Hugo Jóia destaca a relevância ambiental e social do projecto   Para «dar luz verde» ao planeta, está em marcha a campanha “Dar à luz”. Por 10 euros, é possível adquirir duas lâmpadas de baixo consumo e receber […]

Associação Empresarial da Guarda promove na região iniciativa nacional que envolve a Philips e a Plataforma Carbonnus

Hugo Jóia destaca a relevância ambiental e social do projecto
 
Para «dar luz verde» ao planeta, está em marcha a campanha “Dar à luz”. Por 10 euros, é possível adquirir duas lâmpadas de baixo consumo e receber outra gratuitamente, contribuindo ainda para oferecer uma quarta a uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) e para promover a plantação de três árvores no distrito e em Trás-os-Montes. A iniciativa parte da Philips e do Centro de Inovação em Gestão e Ambiente (CIGA), e será operacionalizada pela Plataforma Carbonnus, uma organização com o objectivo de reduzir ou compensar as emissões de dióxido de carbono (CO2).
 
Por enquanto, o Nerga – Associação Empresarial da Região da Guarda é o único núcleo empresarial com um gabinete florestal, sendo também o primeiro a envolver-se na iniciativa. «Um dos desafios que a Comissão Florestal tinha traçado para 2008/2009 era arrancar com esta valência a nível do ambiente e da energia, apoiando os empresários nesse âmbito», refere Hugo Jóia, coordenador da CF do Nerga. O CIGA convida, assim, a população em geral a reduzir os consumos energéticos nas instituições de solidariedade, nos lares e locais de trabalho, além de contribuir «para a reposição e conservação do meio ambiente» e promover o desenvolvimento sustentável. As lâmpadas vão estar disponíveis na sede do Nerga. Nos próximos dias serão também vendidas nas ruas da cidade, bem como a comerciantes e empresários, «numa acção de dentro para fora, tentando mobilizar as pessoas para chamar a atenção para a necessidade das reduções do carbono e do nosso incumprimento, bem como para alertar para as reduções no consumo de energia se optarmos por estas lâmpadas», acrescenta Hugo Jóia.
 
Depois disso tentar-se-á «criar pontos de venda com entidades que queiram aderir, para que se forme uma campanha de grande dimensão na região», adianta. Para o responsável, «as empresas têm aqui uma boa oportunidade para reconverterem a iluminação das suas instalações e tornarem-se mais eficientes energeticamente, reduzindo os custos. Estamos convencidos que as empresas e as instituições públicas vão contribuir para esta iniciativa poder crescer um pouco mais». Além do mais, para aproveitar o cariz ambiental do projecto e maximizar a eficiência energética de todos os que aderirem, Nerga, Philips e Plataforma Carbonnus abdicam dos lucros e oferecem a terceira lâmpada aos compradores, plantando igualmente uma terceira árvore. “Dar à luz” significará também ajudar na redução dos custos em energia das instituições de solidariedade. «Por muita boa vontade que uma IPSS tenha, este sector é secundário, pois têm dificuldades realmente sérias – que ficaram bem prementes na Gala de Beneficência do ano passado», afirma Hugo Jóia.



Conteúdo Recomendado