Município de Pinhel retoma projeto de mobilidade social “Siga o Falcão”

O município de Pinhel vai retomar na segunda-feira o transporte coletivo de mobilidade social “Siga o Falcão”, que estava suspenso desde 15 de março, na sequência da declaração da pandemia pela covid-19, foi hoje anunciado.

“Sendo um serviço que faz muita falta às gentes do concelho, nomeadamente às pessoas mais idosas ou com menos recursos, o presidente da Câmara Municipal de Pinhel, Rui Ventura, entendeu estarem reunidas as condições para retomar este meio de transporte coletivo a cargo da autarquia, garantindo o cumprimento das necessárias medidas de segurança”, refere a autarquia em comunicado.

Segundo a fonte, a partir de segunda-feira, os autocarros do projeto “Siga o Falcão” irão “retomar os circuitos normais, de segunda-feira a domingo, possibilitando a deslocação dos munícipes de todas as localidades à sede de concelho, bem como as ligações de fim de semana, de e para a estação ferroviária de Vila Franca das Naves [Trancoso]”.

O serviço é retomado com regras, que determinam que motoristas e passageiros “deverão usar máscara durante todo o percurso” e “apenas serão usados dois terços da lotação total do autocarro, de modo a preservar os distanciamentos preconizados pelas autoridades de saúde”.

No mesmo dia, pelas 12h00, o município de Pinhel vai inaugurar um edifício, propriedade da autarquia, que foi recuperado para dar apoio aos utentes do projeto de mobilidade social “pioneiro na região e no país”, segundo a nota.

O espaço, denominado “Ninho do Falcão”, situado junto à principal paragem da cidade, em frente ao edifício do Tribunal, irá servir de abrigo aos utentes do “Siga o Falcão”.

“Com a abertura deste espaço, as pessoas poderão esperar mais confortavelmente pelo autocarro, não estando sujeitas aos rigores do inverno ou do verão”, refere a autarquia.

Nas obras de adaptação do edifício foram investidos cerca de 30 mil euros.

Portugal contabiliza 1.356 mortos associados à covid-19 em 31.292 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia divulgado hoje.

Relativamente ao dia anterior, há mais 14 mortos (+1%) e mais 285 casos de infeção (+0,9%).

O número de pessoas hospitalizadas baixou de 513 para 510, das quais 66 se encontram em unidades de cuidados intensivos (menos uma).

O número de doentes recuperados é de 18.349.

Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta nova fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.




Conteúdo Recomendado