Junta de Freguesia defende construção de Barragem

Fóios O Presidente da Junta dos Fóios continua a defender a construção de uma Barragem para fins múltiplos, nas proximidades da Freguesia, no sítio do Ribeiro Picoto, considerando tratar-se de um projecto “importante” para aquela zona do concelho do Sabugal.   José Manuel Campos disse ao Jornal A Guarda que a construção do equipamento “é […]

Fóios

O Presidente da Junta dos Fóios continua a defender a construção de uma Barragem para fins múltiplos, nas proximidades da Freguesia, no sítio do Ribeiro Picoto, considerando tratar-se de um projecto “importante” para aquela zona do concelho do Sabugal.
 
José Manuel Campos disse ao Jornal A Guarda que a construção do equipamento “é uma ideia minha de há muito tempo” e poderia ser construída através de uma candidatura ao QREN – Quadro de Referência Estratégico Nacional.
 
“Aqui há uns 15 anos, uma empresa até me ofereceu o projecto mas nessa altura não teve cabimento. Contudo, esta ideia da construção de uma Barragem na Freguesia dos Fóios, nunca me saiu da cabeça”, disse o autarca. Acrescentou referindo que com o surgimento do QREN voltou “com isto à carga” e, inclusivamente, já entregou “o projecto e alguns documentos na CôaFlor – Associação de Produtores Florestais do Alto Côa”, com sede no Sabugal.
 
José Manuel Campos explicou que a Barragem “seria para fins agrícolas, permitindo a regularização do caudal do Rio Côa, e para recolha de água em caso de incêndios, uma vez que fica mesmo à beirinha do baldio da Freguesia”. Também iria servir “para apoio aos baldios de Quadrazais, Malcata e Aldeia Velha e para fins turísticos, criando ali um espaço de lazer, funcionando como piscina natural”.
 
O autarca não tem valores sobre o investimento mas assegura que a sua construção, a cerca de 1,5 quilómetros de distância dos Fóios, na direcção da localidade espanhola de Valverde del Fresno, “seria uma mais valia não só para os Fóios como para outras Freguesias vizinhas porque serviria para irrigar terrenos de Vale de Espinho e Quadrazais”. “Com a sua construção iríamos regularizar o caudal do Rio Côa, porque no Verão quase seca, e manteríamos alguma água armazenada, que seria disponibilizada consoante as necessidades que houvesse a montante. Utilizavam-se as comportas de modo a diminuir o efeito da falta de água até no próprio Viveiro das Trutas (situado entre Vale de Espinho e Quadrazais”, disse. Por outro lado, José Manuel Campos também apontou que existem “muitos lameiros à beira do Rio Côa e o feno tem uma grande importância económica para as populações destas Freguesias. Os lameiros são regados com a água do Côa e quando não existe, a situação torna-se mais difícil para os nossos agricultores”. A ideia do presidente da Junta de Freguesia dos Fóios foi apresentada na passada segunda-feira, 24 de Novembro, à engenheira Graça, do Núcleo Florestal da Guarda que visitou a localidade.
 
Durante a deslocação, o autarca também sensibilizou a responsável para a necessidade de serem realizadas obras de reparação das vedações existentes naquele local onde pastaram diariamente “cerca de 300 vacas de campo”. “As pessoas largam-nas e elas por lá andam. A aramada já está muito danificada e quero ver se colocamos lá uma nova”, explicou. José Manuel Campos revelou, ainda, que é intenção da Junta avançar com a criação de um “rebanho comunitário de cabras, com a envolvência da Reserva da Malcata e dos Serviços Florestais”. “Tencionamos fazer uns parques de modo a que os gados ali andassem a pastar, para que fossem produzidos queijos e cabritos, que são os ex-libris gastronómicos” da localidade, defendeu.



Conteúdo Recomendado