Jazz de volta à “mais alta” com Ciclo Guarda in Jazz

Este ano, o Jazz regressa à cidade mais alta do país e ao Teatro Municipal da Guarda com mais uma edição do Ciclo Guarda in Jazz.

Segundo a autarquia, entre 29 de junho e 12 de julho são muitas as propostas as deste cartaz, com sete espetáculos e a apresentação de um livro. Dos standards ao improviso, passando pelo jazz de fusão, diversidade artística dá o mote.”

O Teatro Municipal da Guarda (TMG) recebe sete concertos com duas atrações internacionais de grande relevo: o super trio The Bad Plus, oriundos dos EUA, que atuam a 11 de julho e os efervescentes canadianos Jazzamboka, que misturam jazz com ritmos africanos, no dia seguinte a 12 de julho. Pelo meio há outros concertos igualmente imperdíveis como é o caso dos Slow is Possible, a abrir o ciclo, no dia 29 de junho, numa das melhores e mais versáteis formações portuguesas de jazz da atualidade. Seguem-se Elas e o Jazz, um trio português de cantoras que abordam o reportório de standards de jazz de toda a história e que atuam a 30 de junho.

Destaque também para o Trio Lokomotiv, que comemora em 2018 os 20 anos de uma intensa atividade em Portugal e no estrangeiro; o trio sobe ao palco do Pequeno Auditório a 5 de julho. Para ver e ouvir ainda no dia seguinte, 6 de julho, Vítor Rua, músico iconoclasta e irreverente que vem mostrar ao TMG a sua visão particular do jazz, acompanhado pelos Metaphysical Angels. E ainda João Hasselberg, contrabaixista de referência que traz Spectral Songs, no dia 7 de julho.

O cartaz deste “Guarda in Jazz” fica completo com a apresentação do livro “O Jazz Depois do Jazz” de Ivo Martins, programador do Festival Guimarães Jazz que se apresenta no Café Concerto do TMG, no dia 3 de julho.

Para quem deseje assistir a todos os concertos no Pequeno Auditório, o TMG preparou um bilhete especial que dá acesso a todos os momentos do ciclo, pelo preço especial de 12,5 euros. Os concertos e outras atividades no Café Concerto são de entrada livre.

Programa Guarda in Jazz
29 DE JUNHO, SEXTA, CAFÉ CONCERTO, 21H30
SLOW IS POSSIBLE
Um sexteto de músicos oriundos de várias latitudes que apostam na reinvenção do jazz juntando-lhe sonoridades da música erudita e o do rock.

30 JUNHO, SÁBADO, PEQUENO AUDITÓRIO, 21H30
ELAS E O JAZZ
Três talentosas cantoras de jazz recriam o universo dos musicais da Broadway e das canções clássicas do jazz, numa narrativa musical contada a três vozes.

3 DE JULHO, TERÇA, CAFÉ CONCERTO, 21H30
“O JAZZ DEPOIS DO JAZZ” DE IVO MARTINS
Ivo Martins, programador do festival de jazz de Guimarães, apresenta o livro “O jazz depois do jazz”, contando muitas histórias que fizeram do jazz um género musical central nas últimas seis décadas.

5 DE JULHO, QUINTA, PEQUENO AUDITÓRIO, 21H30
TRIO LOKOMOTIV
O Trio Lokomotiv comemora 20 anos de carreira. O grupo conta na sua formação com três dos maiores músicos portugueses de jazz.

6 DE JULHO, SEXTA, PEQUENO AUDITÓRIO, 21H30
VÍTOR RUA & THE METAPHYSICAL ANGELS
Depois da saída dos GNR, Vítor Rua enveredou por uma diversificada carreira explorando novas sonoridades. Este é um projeto que alia o jazz a outras manifestações estéticas.

7 DE JULHO, SÁBADO, PEQUENO AUDITÓRIO, 21H30
JOÃO HASSELBERG & SPECTRAL SONGS
Spectral Songs nasce do equilíbrio entre a composição e a improvisação, que cresce com a interpretação completamente livre que este reputado ensemble internacional executa.

11 DE JULHO, QUARTA, PEQUENO AUDITÓRIO, 21H30
THE BAD PLUS (EUA)
Um notável trio norte-americano de músicos que aborda o jazz de uma nova perspetiva, aliado ao rock – interpretando versões, por exemplo, dos Nirvana – à pop e à música clássica.

12 DE JULHO, QUINTA, CAFÉ CONCERTO, 22H00
JAZZAMBOKA (CA)
O surpreendente e enérgico grupo canadiano que mistura jazz com hip-hop, funk, rock aos ritmos africanos.

Mais informação sobre o ciclo e bilhetes em www.tmg.com.pt.




Conteúdo Recomendado