Idanha-a-Nova – Tradições pascais são mais-valia cultural e turística

A Câmara Municipal de Idanha-a-Nova tem transformado o vasto conjunto de celebrações ligadas ao ciclo quaresmal e pascal em mais-valia cultural e turística.

Nos últimos anos, o município beirão tem preservado, valorizado e inventariado este património imaterial.  «A Câmara de Idanha-a-Nova tem feito um trabalho de inventariação e de valorização deste património imaterial, de modo a preservar as tradições que passam de geração em geração e de forma a torná-las numa mais-valia para a oferta cultural e turística do concelho», disse o presidente do município.

Armindo Jacinto explicou que «toda esta riqueza cultural» está ligada à presença no concelho de várias civilizações e sublinhou as influências islâmica, cristã e judaica «naquilo a que se chama “Os Mistérios da Páscoa em Idanha.”

O autarca realçou ainda o conjunto de «acções muito ricas e diversificadas» que decorrem durante o período pascal um pouco por todo o concelho e que «diferem de aldeia para aldeia».

A riqueza deste património imaterial levou o município a lançar a agenda «Mistérios da Páscoa em Idanha», uma publicação cuja primeira edição foi lançada em 2009 e que anualmente reúne o calendário de cerimónias do concelho ligado ao ciclo quaresmal e pascal.

O projecto conta com a coordenação do historiador António Catana e é patrocinado pela Câmara de Idanha-a-Nova. Este ano, a agenda tem como tema «As Procissões corridas e a dos Passos em Alcafozes».

Até ao ano passado, os «Mistérios da Páscoa em Idanha» já se referiram a temáticas como a Encomendação das Almas, Ceia dos Doze, Cânticos dos Martírios e do Louvád’íssimo e ao Cântico de Nossa Senhora das Dores em Monfortinho, Alcafozes e Monsanto.

Dada a importância que o período pascal tem no concelho de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto anunciou a intenção de criar o Museu da Semana Santa, um espaço interpretativo que «reflectirá toda a riqueza patrimonial e cultural» do concelho sobre esta temática.

O autarca sublinhou ainda que tem havido, anualmente, um aumento do número de pessoas que visitam Idanha-a-Nova durante a Semana Santa.

 


Conteúdo Recomendado