Folclore dá o mote à passagem de ano em Viseu

Vinte mil pessoas são esperadas em Viseu para as comemorações da passagem de ano, que servirão para assinalar a despedida do ano oficial para visitar o concelho e a chegada do ano em que será Cidade Europeia do Folclore.

“Fechamos o ano oficial para visitar Viseu e abrimos o ano em que Viseu se assume como Cidade Europeia do Folclore. Será um ano em que Viseu, do ponto de vista europeu, liderará todos os aspetos ligados ao folclore e às tradições”, afirmou o presidente da autarquia, Almeida Henriques, durante a apresentação das comemorações.

O vereador da Cultura, Jorge Sobrado, explicou que o folclore foi o mote eleito para a passagem de ano (que tem um orçamento de 50 mil euros), dando assim início a um projeto do município para revitalização desta expressão artística.

“Não teremos o folclore apenas no seu estado puro. Haverá a participação de grupos etnográficos e de folclore, mas teremos também música folk, pop e eletrónica, com o mote do folclore enquanto grande marca cultural da região”, justificou.

Segundo Jorge Sobrado, foi convidada a OqueStrada, uma “banda ícone da reinterpretação das raízes da música tradicional portuguesa, do folclore e do fado, uma espécie de embaixadores da cultura autêntica da música portuguesa com uma roupagem de inovação, animação e um conceito de festa”.

A noite será também animada por bandas de Viseu, como Tranglomango, que se filia “na corrente do folk português”, convidando para palco também grupos folclóricos da região e a rapper Kika G. Em palco, estará também Moullinex, que “fará um espetáculo de música eletrónica que se prolonga pela noite fora”, acrescentou.

Almeida Henriques disse que esta passagem de ano “tem um significado especial, porque simboliza a consolidação de um percurso” que tem sido feito para a tornar num evento de referência.

Este ano, as comemorações mudam-se do centro histórico de Viseu para o Campo de Viriato (recinto da Feira de S. Mateus), devido à crescente adesão de pessoas.

“O centro histórico tornou-se pequeno e, do ponto de vista da segurança, seria complicado manter a passagem de ano no Adro da Sé. Fizemos a opção de transferir para o recinto da Feira de S. Mateus, com a colocação do palco mais ou menos na posição que costuma ter e tendo como cenário de fundo a bela silhueta da nossa cidade”, afirmou o autarca.

Jorge Sobrado prometeu “o melhor espetáculo de fogo-de-artifício de Viseu”, numa noite que contará com a colaboração de operadores da cidade, seja na colocação de tasquinhas no Campo de Viriato, seja mantendo os bares abertos pela noite fora.

Um veículo elétrico fará a ligação entre a parte baixa e a parte alta da cidade.




Conteúdo Recomendado