Deco diz-lhe qual é o supermercado mais barato do país

Na próxima edição da revista PROTESTE serão revelados os dados sobre o estudo anual, levado a cabo pela Deco, que compara os preços praticados nos supermercados.

Na hora de poupar , a Deco – Associação para a Defesa do Consumidor diz-lhe onde fazê-lo, garantindo que a poupança pode chegar aos 350 euros/ano. No estudo anual de comparação de preços, e após analisados entre março e julho “54.208 preços de 480 lojas em 77 concelhos”, a cadeia Jumbo mantém-se na liderança, com os preços mais baixos, mas “a concorrência está ao rubro”.

“No despique por cadeias para encher o carrinho com 83 produtos de marcas de fabricante mais vendidas, o Jumbo tomou de assalto a primeira posição no último estudo e continua a dominar nos subcabazes de mercearia, drogaria e frescos, mas o Pingo Doce melhorou o nível de preços e subiu uma posição no pódio”, refere.

Lisboa, Faro, Santarém são os distritos com “as maiores diferenças de preços” entre “o estabelecimento mais barato e mais caro” e, em sentido contrário, “Guarda, Portalegre e Beja são os distritos com a menor diferença de preços, ou seja, onde o consumidor pode poupar menos”.

Outras das conclusões do estudo refere que “Porto e Coimbra são as regiões onde a competição pelo título de mais barato é mais renhida” e que o Continente Modelo ganha nos Açores e o Pingo Doce na Madeira,  sendo que por diferenças “magras” que rondam apenas os 3%.

Vamos então a dados concretos. “O ‘papa-taças’ é claramente o Jumbo, ao conquistar o melhor cabaz só com marcas de fabricante em oito distritos”, ao qual se segue “o Pingo Doce”, com os preços mais baixos em cinco distritos. A encerrar o pódio está o Pão de Açucar, com quatros distritos.

No que diz respeito ao negócio por cadeia, a liderança mantém-se, face ao último estudo, ocupada pelo Jumbo, que impõe o seu domínio nos subcabazes de mercearia, drogaria e frescos”. O Pingo Doce “melhorou ao nível dos preços”, ocupando a 2ª posição. No último lugar do pódio está o Continente com preços 3% mais caros que o concorrente anterior.

Para o cabaz combinado, o Jumbo volta a não dar hipótese aos rivais, repetindo-se a história na composição do segundo e terceiro lugares, ocupados por Pingo Doce e cadeias Continente e Continente Modelo, respetivamente.

Mas se o que lhe interessa são apenas produtos de mercearia e drogaria, saiba que o Jumbo lidera, seguido bem de perto pelo Lidl, que “partilha o segundo lugar com o Minipreço. Continente e Pingo Doce ocupam a terceira posição”. Nos frescos, o Jumbo mantém o domínio mas com “uma pequena distância de Pingo Doce e Intermarché Super”.

Uma dica ao consumidor para poupar 350 euros/ano

Porque no “vale tudo para seduzir o consumidor”, desde “a febre dos sorteios aos concursões (…) bem regado com litros e litros de combustível”, a Deco compromete-se a “quando o cinto aperta”, dar as “coordenadas” que ajudam a desapertá-lo. Não fosse a despesa em produtos alimentares e bebidas não alcoólicas “o terceiro maior encargo, a seguir a habitação e transportes”.

Neste sentido, a Deco destaca neste estudo que “uma simples mudança de hábitos, como trocar alguns produtos por outros equivalentes, mas das marcas mais baratas, pode representar uma poupança média de 24%”.

Além da escolha de marcas mais baratas, refere ainda que “em muitas cidades, basta atravessar a rua ou virar a esquina para poupar também centenas de euros”, referindo que a escolha acertada permite alcançar poupanças de 350 euros por ano.

Na página online da Deco PROTESTE, pode fazer uma simulação do seu cabaz e saber qual o supermercado mais barato na sua área de residência.



Conteúdo Recomendado