Covid-19: Vacina da Pfizer-BioNTech pode ser aprovada hoje para a União Europeia

A antecipação da data da reunião para hoje surge, contudo, depois de o ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn, ter pressionado o regulador europeu a acelerar a aprovação do fármaco.

A Agência Europeia do Medicamento deverá aprovar hoje o uso da vacina da Pfizer-BioNTech contra a covid-19 na União Europeia, numa reunião que foi antecipada depois de estar inicialmente agendada para 29 de dezembro.

A entidade que regula a aprovação de medicamentos na União Europeia justificou esta antecipação da reunião por ter recebido dos laboratórios farmacêuticos a informação adicional sobre a vacina.

A antecipação da data da reunião para hoje surge, contudo, depois de o ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn, ter pressionado o regulador europeu a acelerar a aprovação do fármaco.

O ministro considerou a situação “especialmente irritante” porque o uso da vacina desenvolvida pela BioNTech, da Alemanha, e pela farmacêutica norte-americana Pfizer, foi autorizada em países como o Reino Unido, os Estados Unidos ou o Canadá, mas ainda estava à espera de aprovação da Agência Europeia do Medicamento, não podendo, por isso, ser usada na Alemanha ou em qualquer um dos 27 países da UE.

Recentemente, a presidente da Comissão Europeia exortou a União Europeia a iniciar “tão cedo quanto possível” uma campanha de vacinação contra a covid-19, a arrancar em simultâneo nos 27 Estados-membros, para assegurar a erradicação do “vírus horrível”.

A Comissão Europeia já assinou contratos com as companhias de vacinas AstraZeneca (300 milhões de doses), Sanofi-GSK (300 milhões), Johnson & Johnson (200 milhões), BioNTech e Pfizer (300 milhões), CureVac (405 milhões) e Moderna (160 milhões).

Na semana passada, a Agência Europeia do Medicamento antecipou uma outra reunião extraordinária para 06 de janeiro para concluir a avaliação da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica Moderna, que estava anteriormente prevista para 12 de janeiro.

A EMA recebeu na última quinta-feira, “antes do previsto”, o último pacote pendente de dados clínicos necessário para os seus especialistas avaliarem o pedido da Moderna de licença condicional de comercialização do seu fármaco na União Europeia, o que pode permitir a essa agência antecipar o anúncio de suas conclusões sobre a segurança e eficácia da vacina.

Também na última quinta-feira, a ministra da Saúde, Marta Temido, adiantou que a vacinação contra a covid-19 pode começar no dia 27 de dezembro em Portugal, com a vacina desenvolvida pela Pfizer/BioNTech.



Conteúdo Recomendado