Covid-19: Unidade Local de Saúde da Guarda suspende visitas

A Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda anunciou esta sexta-feira novas medidas de prevenção do contágio por Covid-19, que incluem a suspensão de visitas aos doentes internados, limitações nas consultas e restrições na cirurgia programada.

A ULS refere em comunicado que decidiu suspender as visitas aos doentes internados e que “apenas será permitida a presença da pessoa de referência designada como ‘Acompanhante’, no período entre as 12h00 e as 14h00 e entre as 18h00 e as 20h00”.

Nos serviços de Pediatria e de Neonatologia “continua a ser permitida apenas a entrada de pai e mãe, sem limitação de horário” e, no serviço de Obstetrícia “continua apenas a ser permitida a entrada do pai ou acompanhante designado, no período entre as 12h00 e as 20h00”.

“No serviço de Cuidados Paliativos mantém-se a autorização de permanência do acompanhante de referência de cada doente, sem limitação de horário, podendo ser autorizadas, caso a caso, a realização de visitas”, lê-se na nota.

A ULS/Guarda decidiu também hoje “restringir a presença do acompanhante no serviço de urgência aos menores e doentes com situação clínica justificativa da necessidade do mesmo, validada pelo chefe de equipa”.

As medidas de prevenção que têm como objetivo “garantir a segurança dos utentes, acompanhantes e profissionais de saúde e garantir a disponibilidade destes para assegurar os serviços essenciais no âmbito do Plano de Contingência” também implicam alterações nas consultas hospitalares.

Entre outras decisões, a ULS deliberou suspender a realização de primeiras consultas com prioridade normal, indicando que “deverá continuar a ser assegurada a realização de primeiras consultas tidas como ‘Muito Prioritárias’ e ‘Prioritárias’, sendo as restantes oportunamente reagendadas”.

Ao nível dos cuidados de saúde primários foi decidido, entre outras, suspender a realização de consultas de “Saúde Infantil” a crianças com idade superior a dois anos, de “Planeamento Familiar”, “Diabetes” e “Hipertensão” a doentes controlados.

A ULS também suspendeu a realização de consultas do Rastreio Visual Infantil e do Cancro do Colo do Útero e as sessões de preparação para o parto e pós-parto, nos hospitais e cuidados de Saúde Primários.

Foi ainda decidido restringir cirurgias programadas (convencional e de ambulatório) “à Cirurgia Oncológica, Obstétrica, Trauma Ortopédico e outras situações de urgência diferida ou muito prioritárias que não possam ser adiadas sem prejuízo grave para a situação clínica do doente”.

A ULS/Guarda deliberou suspender a aprovação dos Planos de Férias para 2020, condicionar a autorização do gozo de férias à necessidade de assegurar o funcionamento dos serviços e suspender a celebração eucarística no interior do hospital.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro de 2019, na China, e já provocou mais de 5.000 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde (OMS) a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 134 mil pessoas, com casos registados em mais de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 112 casos confirmados.




Conteúdo Recomendado