Covid-19: Mais de 36 mil doentes em casa com vigilância clínica telefónica

Mais de 36 mil doentes com covid-19 estão em casa em vigilância clínica e a ser acompanhados telefonicamente por equipas de saúde familiar, e 70 mil profissionais inscritos para fazer gestão clínica através da aplicação Trace covid-19.

Os números foram hoje avançados pela ministra da Saúde, Marta Temido, na conferência de imprensa diária da Direção-Geral da Saúde (DGS) para um ponto de situação da epidemia de covid-19 em Portugal e durante a qual referiu o papel das tecnologias no encaminhamento de utentes e trabalho clínico.

“Sublinho, por exemplo, que os doentes que estão em domicílio estão a ser acompanhados telefonicamente e neste momento para se ter uma noção numérica do que falamos, temos cerca de 70 mil profissionais inscritos no Trace covid-19 a fazer gestão clínica com apoio do Trace covid-19 e temos em vigilância clínica por equipas de saúde familiar, ou seja, médicos e enfermeiros de cuidados de saúde primários, mais de 36 mil utentes”, disse a ministra.

Sobre a linha SNS24, Marta Temido disse que o atendimento “retomou a relativa normalidade”, com o número de chamadas no sábado a superar as 12 mil, das quais mais de 11 mil foram atendidas, “com a generalidade dos utentes a serem atendidos em 28 segundos”.

Já a linha de aconselhamento psicológico recebeu no sábado 236 chamadas, adiantou.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registam-se 504 mortos, mais 34 do que no sábado (+7,2%), e 16.585 casos de infeção confirmados, o que representa um aumento de 598 em relação a sexta-feira (+3,7%).

Dos infetados, 1.177 estão internados, 228 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 277 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril.




Conteúdo Recomendado