Câmara do Sabugal elabora plano para garantir água nas explorações pecuárias

A Câmara do Sabugal elaborou um plano de contingência para situações de seca extrema e está a aplicar medidas de apoio a explorações pecuárias afetadas pela falta de água, foi hoje anunciado.

O vice-presidente da autarquia do Sabugal, Vítor Proença, disse hoje à agência Lusa que o município elaborou o plano de contingência para água em situações de seca extrema do concelho do Sabugal para fins agrários, que vai ser apresentado em breve, para aprovação, no executivo municipal, mas que, face à escassez de água, algumas medidas já estão a ser implementadas no terreno.

O plano foi elaborado pelo facto de o concelho do Sabugal, situado no distrito da Guarda, junto da fronteira com Espanha, “ter muita pecuária” e ter sido afetado pela seca no ano de 2017.

O concelho tem atualmente cerca de 13 mil cabeças de gado e, sobretudo na zona da raia, junto da linha de fronteira, “começou-se a notar uma dificuldade imensa em termos de obtenção de água para beberagem de animais”, disse.

“Nós estamos, neste momento, a reativar todas as captações [de água], onde nos solicitam, onde há mais dificuldade, para a beberagem de animais”, indicou o autarca à Lusa.

Segundo Vítor Proença, em 2017 algumas Juntas de Freguesia e produtores de bovinos solicitaram ao município que reativasse captações de água e a autarquia reativou “cerca de dez a doze captações” antigas que estavam desativadas.

“Este ano, como se prevê um ano idêntico ao de 2017, também já nos solicitaram, algumas Juntas [de Freguesia] e alguns produtores, e estamos a proceder à reativação de outras captações já muito antigas para as por ao serviço da população, para animais e para outros fins que seja necessário”, contou.

O vice-presidente do município do Sabugal disse que o plano de contingência abrange outras vertentes mas, de momento, a principal preocupação está relacionada com o fornecimento de água para os animais, uma vez que “as charcas, nomeadamente na zona da raia, já estão a ficar praticamente sem água”.

A autarquia está neste momento no processo de reativação de “cinco ou seis” antigas captações de água em localidades como Rebolosa, Aldeia da Ribeira, Badamalos e Vilar Maior.

Em localidades onde não há captações de água para reativar, como é o caso de Forcalhos, vão ser abertos furos artesianos para esse efeito, segundo Vítor Proença.

“Isso requer algum investimento, mas a Câmara Municipal [do Sabugal] terá que assumir”, referiu, indicando que existe uma rubrica no Orçamento Municipal para esse fim.

O autarca vaticina que o problema da falta de água no concelho poderá ser este ano “mais agravado” do que em 2017 porque o verão está “praticamente no início” e já se verificam dificuldades no fornecimento de água a muitas explorações pecuárias.




Conteúdo Recomendado